Pastor defensor de palmadas fica na berlinda nos EUA

Pastor defensor de palmadas fica na berlinda nos EUA

Atualizado: Sexta-feira, 18 Novembro de 2011 as 10:57

Depois do culto na Igreja de Cane Creek em um domingo recente, algumas dezenas de famílias realizaram um piquenique, cercadas por crianças que riam e brincavam.

O pastor Michael Pearl, de barbas brancas, havia pronunciado seu sermão em calças manchadas, e agora, ao lado de sua esposa Debi, se misturava calorosamente com as famílias de seu ministério evangélico, incluindo alguns de seus próprios netos.

O clima pastoral nas colinas do Tennessee oferecia um contraste alarmante com a grande tempestade que abalou todo o país sobre os ensinamentos de Pearl sobre como disciplinar crianças, que defende o uso sistemático de uma "vara" para ensinar os pequenos a se submeter à autoridade. Os métodos, vistos como normais por alguns pais e como horríveis por outros, são "modelados", Michael Pearl gosta de dizer, sobre "os mesmos princípios usados pelos Amish para treinar mulas teimosas".

O debate sobre os ensinamentos de Pearl primeiramente tomou conta de sites cirstãos, mas ganhou nova intensidade com a morte de uma terceira criança supostamente nas mãos dos pais, que tinham em suas casas o livro de Pearl: "To Train Up a Child" ("Educar uma Criança", em tradução literal). Em 29 de setembro, os pais foram acusados de homicídio por abuso e estão aguardando julgamento.

Mais de 670 mil cópias do livro autopublicado de Pearl estão em circulação e ele é especialmente popular entre os cristãos que educam seus filhos em casa e o elogiam em suas revistas e sites. Pearl "fornece instruções sobre o uso de varas, a partir dos seis meses, para desencorajar o mau comportamento e descreve como fazer uso de implementos para bater nos braços, pernas ou costas, incluindo o uso de um cano flexível que, Michael Pearl diz, ?pode ser enrolado e transportado em seu bolso".

O furor em parte reflete as divergências da sociedade sobre os castigos corporais, que os cristãos conservadores dizem ser adotado na Bíblia e que muitos americanos consideram razoável até certo ponto, enquanto muitos pais e pediatras o rejeitam. A questão foi levada a outro nível recentemente, quando um vídeo de um juiz do Texas chicoteando sua filha foi publicado online.

Michael Pearl, 66, e Debi Pearl, 60, dizem que culpar seu livro pelo abuso extremo de alguns pais instáveis é absurdo e que eles explicitamente aconselham contra agir com raiva ou deixar hematomas. Eles afirmam que seus métodos, quando usados corretamente, geram adolescentes em paz e felizes.

"Se você encontrar um livro dos 12 passos na casa de um alcoólatra você não iria culpar o livro", disse Michael Pearl em uma entrevista.

Mas ele reconheceu que os métodos não são adequados para pais fora de controle ou severamente sobrecarregados.

No caso mais recente, Larry e Carri Williams, de Sedro-Woolley, Washington, educavam seus seis filhos em casa quando adotaram uma menina e um menino da Etiópia, de 7 e 11 anos, em 2008. Os dois eram vistos por seus novos pais como rebeldes, de acordo com amigos.

Tarde da noite, em maio desse ano, a menina adotada, Hana, foi encontrada de bruços, nua e anormalmente magra no quintal da casa. Sua morte foi causada por hipotermia e desnutrição, determinaram as autoridades.

Segundo o relatório do xerife, os pais a tinham privado de comida por muitos dias seguidos e a faziam dormir em um celeiro frio ou em um chuveiro externo com uma mangueira. Muitas vezes, eles a chicotearam, deixando marcas nas suas pernas.

veja também