Pastor descreve a singularidade da salvação preparada pelo Pai

Pastor descreve a singularidade da salvação preparada pelo Pai

Atualizado: Sábado, 27 Novembro de 2010 as 11:29

Na manhã deste sábado, 27 de novembro, o pastor Hermes Pereira de Brito, vice-presidente da Igreja Adventista da Promessa, foi o preletor da mensagem com o título 'O amor do Pai e a Salvação dos Filhos'.

"A Salvação preparada pelo Pai para os filhos é singular", afirmou o pastor após a leitura da passagem de João 3:16.

Brito descreveu as razões pela qual a salvação por meio de Jesus pode ser considerada singular. A primeira das razões é sua base. Segundo o pastor, a base da salvação é singular porque Seu amor é inexplicável, indiscriminável, seguro e ilimitado.

"Se hoje você tem direito à vida, é graças à oferta de Deus na sua vida. Sem Jesus isso seria impossível, nós não teríamos vida, estaríamos condenados", disse o pastor ao revelar que a segunda razão da singularidade da salvação é a oferta de Jesus como salvador. "Deus, que é rico em misericórdia, deu-nos a vida por Cristo", celebrou.

A extensão da salvação é a terceira razão citada como motivo de sua singularidade. "O amor de Deus não tem limites, ele envolve toda a humanidade. Homens e mulheres, adultos e crianças, negros e brancos, ricos e pobres; todos são alvos da salvação", declarou Brito. Ele explicou, portanto, que isso não quer dizer que todos já são salvos, mas que todos podem ser salvos.

"A salvação é singular por causa de sua condição", disse o pastor. De acordo com o preletor, a condição para a salvação é simplesmente crer em Cristo e fazer uma entrega particular e espontânea. "Crer, em João 3:16, está além de acreditar que Jesus é Deus. Significa eleger a Cristo como responsável pelos nossos planos. Crer é ter certeza que suas palavras são seguras".

A quinta e última razão da singularidade da salvação do Pai, citada por Brito, é sua dádiva. "Crer em Jesus conduz à vida eterna. Essa vida é diferente, vida em plenitude, vida sem fim. Crer em Cristo vale a pena e faz toda a diferença", exclamou.

Por Juliana Simioni

veja também