Pastor é ameaçado de morte por LGBTs, após oferecer ajuda contra homossexualidade

Jeremy Schossau disse que os militantes ameaçaram matar sua família, além de queimar sua casa e igreja.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Quarta-feira, 14 Fevereiro de 2018 as 12:44

O pastor havia oferecido em sua igreja um workshop para adolescentes que sofrem com atração pelo mesmo sexo. (Foto: Reprodução/YouTube).
O pastor havia oferecido em sua igreja um workshop para adolescentes que sofrem com atração pelo mesmo sexo. (Foto: Reprodução/YouTube).

O pastor Jeremy Schossau, da Igreja Metro City Church, em Riverview, Michigan (EUA), enfrenta reação após oferecer aulas para adolescentes que estão lutando contra a atração do mesmo sexo.

Em uma publicação no Facebook, a igreja ofereceu um workshop chamado "Unashamed Identity" para meninas de 12 a 16 que estão lutando contra pensamentos de ser trans, bi, gay ou outro conceito do meio LGBT.

A postagem foi recebida com indignação de muitos nas mídias sociais, impulsionada principalmente pela comunidade LGBT. Os militantes afirmam que o programa seria uma “terapia de conversão”, prática usada para mudar a orientação sexual de um indivíduo.

Centenas de pessoas protestaram em frente da igreja, contra as oficinas, de acordo com Schossau. Alguns responderam com ameaças de danos físicos a ele e à igreja.

Em um vídeo publicado no YouTube, em resposta à controvérsia, ele explicou: "As pessoas literalmente ameaçaram matar a mim e a minha família, queimar nossa casa, queimar nossa igreja, atacar as pessoas da nossa igreja e nossa equipe", disse.

"É absolutamente louco", acrescentou Schossau.

Enquanto isso, os legisladores estaduais emitiram recentemente um comunicado condenando as aulas e forçaram uma legislação para proibir a suposta “terapia de conversão” em todo o estado. Schossau diz que o programa não é terapia de conversão, mas uma conversa sem condenação.

"Se as pessoas estão pensando que estamos agarrando alguém, puxando-os ou fazendo-os vir até nós, isso é loucura. Isso não poderia estar mais longe da verdade", disse ele.

Ele acrescentou: "Neste workshop particular, o pai e a criança se unem para falar. Nós não forçamos as crianças a estar lá. Nós perguntamos se eles querem estar lá. Eles vão porque estão lutando. Eles estão procurando algum conselho. Eles estão procurando alguma direção, alguém para ouvi-los. E é pura hipocrisia na comunidade gay para que as pessoas pensem que você pode ter uma escolha para deixar a heterossexualidade e ir para a homossexualidade. Mas não a homossexualidade na heterossexualidade", explicou.

"Por que é errado que alguém nos ligue, que está lutando e se machucando? Ou apenas procurando por alguém para conversar? Se eles se sentem melhor na heterossexualidade, nós celebramos isso. Por que isso está errado?" disse o pastor Schossau.

Os manifestantes procuram realizar mais manifestações fora da igreja até o programa "Unashamed Identity" parar. Depois de entrar muitas ameaças, a página do Facebook da igreja não está mais disponível.

No vídeo abaixo, o pastor Jeremy Schossau rebate as acusações feitas contra ele (em inglês):

veja também