Pastor é atacado enquanto caminhava para igreja

Pastor é atacado enquanto caminhava para igreja

Atualizado: Terça-feira, 23 Novembro de 2010 as 10:47

Um jovem pastor no sul da Ásia ainda se recupera após ser espancado em uma estrada por sua fidelidade a Jesus Cristo. O pastor Jethu Monin, do ministério Gospel For Asia - GFA (Evangelho para a Ásia) estava caminhando para a igreja no domingo passado, quando extremistas o cercaram. "Ele foi atacado por alguns extremistas anti-cristãos - aqueles que se opõem ao Evangelho e se opõem a qualquer outra coisa além da religião do seu país", explica Danny Punnose, do GFA.

Esta não foi a primeira vez que Jethu foi atacado, e provavelmente não será a última.

O pastor de 25 anos de idade, recém formado na faculdade da Bíblia, já enfrentou severa perseguição por sua fé. Surpreendentemente, Jethu diz que ele pode ver o porquê. Ele costumava ser um deles. Durante muito tempo de sua vida, Jethu seguia a religião tradicional da zona, também, apesar do fato de que seus deuses e deusas parecia se importar pouco sobre seus problemas. Quando um estudante da Bíblia lhe contar sobre o amor de Cristo, porém, sua vida foi transformada.

Desde então, Jethu tem sido assediado até mesmo por seus pais. Muitas pessoas parecem ter medo de um seguidor que, uma vez fiel à religião, se converte ao cristianismo. Isto é tão sério que Jethu e seus pais - que finalmente começaram a seguir a Cristo - foram expulsos de sua aldeia.

Como pastores, através da faculdade da Bíblia, eles prometem que estão dispostos a morrer pela causa de Cristo. Ao longo da sua formação, os alunos do GFA reconhecem que a Escritura confirma que a perseguição e o evangelho muitas vezes caminham lado a lado.

"Não é apenas ir para a faculdade da Bíblia para obter um diploma. Estou treinando para que Deus possa usar-me, para que eu possa entregar a minha vida para que outras pessoas possam vir a Cristo", disse Punnose.

Jethu ainda está se recuperando de seus ferimentos. No entanto, ele não cresceu desanimado na fé e, sem dúvida, continuar a servir mesmo aqueles que o odeiam.  “Às vezes as pessoas que fizeram a perseguição são as mesmas que vêm a Cristo mais tarde", finaliza Jethu.

veja também