Pastor é preso em protesto por desocupação na BR-316

Pastor é preso em protesto por desocupação na BR-316

Atualizado: Quarta-feira, 21 Julho de 2010 as 10:23

Quem deixava a capital paraense com destino aos balneários, na tarde de ontem, necessitou de muita paciência para enfrentar mais de 10 quilômetros de engarrafamento na BR-316, em Benevides. O motivo foi um protesto pela desocupação de uma área conhecida como Jardim de Deus. O pastor José Arimateia acabou preso pela polícia e levado para a sede da Divisão de Investigações e Operações Especiais (Dioe).

Policiais da Dioe, com apoio da tropa de choque da Polícia Militar, retiraram os posseiros, segundo informação do major Galdino, comandante da 18ª Zpol, a pedido do proprietário do terreno, que teria denunciado os invasores.

“Eles saíram pacificamente, mas vieram protestar aqui na BR. Eles pedem a liberação do pastor, preso por agitar os ocupantes e querem a retirada da polícia para que possam retornar ao local”, disse o PM.

Os manifestantes afirmam que a área ocupada não possui proprietário e que esta seria do governo. “ O homem que se diz dono não tem documento porque essa terra é devoluta, é do Estado”, disse um dos manifestantes, Ediclei Farias.

“Nós estamos aqui há dois anos e ele veio comprar isso há seis meses. Agora tiram a gente assim de lá. Eu só queria um pedaço de terra para criar meus netos”, contou Rose Elias Ferreira, 62 anos.

Os manifestantes colocaram pedaços de pau no meio da rua, impossibilitando o tráfego de veículos. Por volta das 16h, duas horas após o início da desocupação, os policiais deixaram o local. Revoltados porque o pastor ainda continuava na viatura, os manifestantes entraram em conflito com os policiais militares que davam apoio na BR. Houve tumulto e a polícia precisou usar spray de pimenta.

O pastor Arimateia foi autuado em flagrante pelo crime de bulho possessório. Além dele, mais três pessoas foram presas pela polícia e responderão pelo mesmo crime.  

veja também