Pastor e vererador, Ivanildo Freire, é condenado por extorsão

Pastor e vererador, Ivanildo Freire, é condenado por extorsão

Atualizado: Quarta-feira, 12 Janeiro de 2011 as 8:15

O vereador de São Bernardo Pastor Ivanildo Freire de Santana (PSB) foi condenado em primeira instância por crime de concussão (extorsão ou peculato cometido por empregado público no exercício de suas funções).

A juíza Ely Amioka, da 4ª Vara Criminal de São Bernardo, fixou pena de cinco anos de reclusão, em regime inicial semiaberto, e pagamento de 25 dias-multa. Mas o vereador poderá recorrer em liberdade.

Seis ex-assessores de gabinete do Pastor Ivanildo o acusaram de pegar parte dos salários pagos a eles pela Câmara, em mandatos anteriores. Essa situação teria ocorrido em momentos distintos, no período de 2001 a 2007.

Procurado, o socialista não foi localizado. Mas seu advogado, Leandro Aguiar Piccino, afirmou que se trata "de decisão equivocada, completamente divorciada da prova coligida aos autos, razão pela qual tenho absoluta convicção de que o Tribunal de Justiça vai absolver o vereador."

Piccino pontuou que recurso cabível já foi interposto e possui efeito suspensivo, isto é, as determinações da sentença estão suspensas até julgamento do recurso. "De modo que não se deve falar em perda e/ou cassação de mandato. O vereador responderá ao processo em liberdade e permanecerá exercendo sua função."

O advogado frisou que tem utilizado como argumento na defesa do parlamentar a tese de que os denunciantes se utilizaram de "revanchismo político e religioso, uma vez que migraram da igreja que o vereador integra para outra. "Não há prova nenhuma contra ele. O MP (Ministério Público) limitou-se a dar valor à palavra de uma pessoa que virou desafeto do vereador Ivanildo."

Questionado sobre o destino do socialista, o presidente da Câmara de São Bernardo, Hiroyuki Minami (PSDB), se ateve a dizer que não foi comunicado sobre o assunto e que por isso não irá se pronunciar por enquanto.

DECORO

O munícipe de São Bernardo David Monteiro de Mello protocolou na segunda-feira na Câmara pedido de investigação do Pastor Ivanildo Santana por falta de decoro parlamentar.

Mello reivindica que o parlamentar seja investigado pelas situações que foi condenado. Embora o pedido seja dirigido ao presidente da Casa, Hiroyuki Minami, afirmou desconhecer o documento, uma vez que está em recesso parlamentar. "Não sei do que se trata. Não posso adiantar nada", concluiu.

Parlamentar de São Bernardo perdeu mandato em março

A Câmara de São Bernardo assistiu à cassação de vereador em março: Ramon Ramos (DEM). Seus direitos políticos foram suspensos em decorrência de porte ilegal de arma em 2006, cujo processo foi encerrado em 2009 com condenação.

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) julgou pedido de liminar do democrata, que queria voltar ao mandato, pois já havia cumprido a condenação de prestação de serviços comunitários. O documento do TRE suspendeu os direitos políticos do ex-parlamentar, mas a extinção da cadeira caberia ao presidente da Casa à época Otávio Manente (PPS), que decidiu por extinguir o mandato.

O fato foi confirmado pelo atual presidente Hiroyuki Minami. O primeiro suplente do DEM, Mauro Miaguti, assumiu o posto. O advogado de Miaguti, Tito Costa, disse que Ramon não voltará. "Essa questão está morta e sepultada."  

veja também