Pastor entrou com processo após ter seu pedido de aposentadoria negado

País é condenado por discriminar pastor evangélico

Atualizado: Quarta-feira, 11 Abril de 2012 as 11:21

O pastor da Igreja Evangélica Espanhola (IEE) Francisco Manzanas Martín abriu um processo no Tribunal Europeu de Direitos Humanos alegando que seu país discrimina pastores evangélicos tratando-os de maneira diferenciada em relação aos padres católicos.


O processo foi julgado e o Tribunal condenou a Espanha por fazer discriminação religiosa. Na sentença o Tribunal Europeu afirmou que antes de se promulgar a Constituição, o decreto real 2398/1977 que regula a Segurança Social do clero integrou de maneira imediata os sacerdotes católicos e em 1999 integrou os evangélicos.


Conforme noticiano no blog Notícias Cristãs, o caso foi para o Tribunal Europeu que condenou a Espanha a pagar 3.000 euros por danos morais e 6.000 pelos gastos e custos do processo. O Estado agora pode acordar um valor pelos danos materiais em relação a essa pensão.

veja também