Pastor impede que assessora de vice-prefeito caia em "golpe do prêmio"

Pastor impede que assessora de vice-prefeito caia em "golpe do prêmio"

Atualizado: Terça-feira, 12 Julho de 2011 as 10:53

 Lotada no gabinete do vice-prefeito de Vilhena, Jacier Dias (PSC), a servidora pública Neusa dos Santos Miranda, de 41 anos, escapou por pouco de se tornar mais uma vítima de um golpe que está se tornando corriqueiro em Vilhena: o falso prêmio concedido por operadoras de telefones celulares.

Segundo Neusa, no sábado ela recebeu uma ligação em seu aparelho móvel, feita por um homem que se identificou como Carlos Augusto Fontinelli. Apresentando-se como “Gerente de Premiação da Claro”, o autor da ligação deu a boa notícia: por ter feito a chamada “Recarga Fenomenal”, Neusa teria ganhado um carro no valor de R$ 80 mil, mais 30 mil em dinheiro.

O homem disse, no entanto, que para receber o prêmio, a servidora deveria depositar R$ 300 numa conta indicada por ele. Feliz com o que parecia ser um lance de sorte, a mulher, que é fiel da Assembleia de Deus, correu para a agência da Caixa a fim de fazer a transferência para a conta do tal gerente. Para sua sorte, o cartão de sua poupança estava bloqueado.

Temendo ficar sem os valiosos prêmios, Neusa então pediu dinheiro emprestado ao pastor de sua igreja. O religioso, aliás, a acompanhou até o banco, onde R$ 800 foram depositados em sua conta. Na hora de transferir o dinheiro, no entanto, o missionário percebeu que se tratava de golpe e abortou a operação.

O homem voltou a ligar e, segundo Neusa, seu número aparecia com código (021) do Rio de Janeiro. Demonstrando irritação, o sujeito exigia que a transação fosse efetuada. Já tendo certeza de que se tratava de um golpe, a servidora saiu da agência e foi até a DPC, onde registrou uma ocorrência policial sobre o caso.

“O homem sabia de tudo o que eu fazia e tinha informações minuciosas sobre a minha família, inclusive o endereço da minha casa”, explica Neusa, reconhecendo que a alegria de receber um prêmio fácil a fez ignorar os indícios do golpe. Ela alerta, no entanto, a quem receber ligações parecidas, a não conversar com quem faz a chamada. “Essa gente tem uma lábia que realmente faz a pessoa acreditar que é tudo verdade”, denuncia e previne a vilhenense.  

veja também