Pastor preso por convidar amigos religiosos à sua casa é liberado

Pastor preso por convidar amigos religiosos à sua casa é liberado

Atualizado: Sexta-feira, 9 Dezembro de 2011 as 10:39

Um pastor evangélico foi liberado por uma comunidade indígena católica de Chiapas, sudeste do México, depois de ter realizado um batismo coletivo em sua casa, segundo sua família informou nesta terça-feira. O pastor Manuel López Collazo foi preso no sábado à tarde no município de San Juan Chamula quando se reunia com seus familiares e 13 convidados depois de ter realizado um batismo no município de Pujiltic. De acordo com Jesús Hernández Hernández, morador dessa cidade, os responsáveis pelo aprisionamento foram católicos tradicionalistas liderados pelo ex-prefeito de Chamula, Gomez Domingo Diaz e autoridades da comunidade. “Estávamos entrando a Jolzemen quando o ex-prefeito perguntou a López Collazo por que ele havia levado convidados se sabia que existia uma ata na qual foi acordado que tal coisa era proibida”, acrescentou, de acordo com o jornal mexicano LaJornada. Depois de levarem o pastor e seus convidados para uma escola para discutir a posição a ser tomada, os tradicionalistas decidiram detê-lo e enviá-lo para a prisão municipal para ser julgado. Segundo a Univision, as autoridades teriam imposto uma multa de 42 mil pesos por violar acordos internos da comunidade, onde se preserva uma forte tradição religiosa que mistura o catolicismo com outras crenças pré-hispânicas.

As leis mexicanas reconhecem a autonomia das comunidades indígenas para impor acordos e normas de justiça em seus territórios.

O pastor López Collazo afirmou que não iria pagar a multa por achar injusta e por não ter cometido um delito. “é injusta e não tenho esse dinheiro”, disse ele aos meios locais.

Entretanto, segundo o seu irmão Javier Collazo Gomez relatou, o pastor foi liberado na segunda-feira em torno das 15:30 pm depois de assinar uma promissória de 42 pesos a ser paga no prazo de dois meses.

O estado de Chiapas registra o maior número de conflitos por intolerância religiosa, em grande parte por parte das comunidades católicas, segundo a Comissão Nacional de Direitos Humanos.

Desde 1960, centenas de indígenas tzotziles foram expulsos de San Juan Chomula por converter-se às Igrejas evangélicas. Segundo o Censo de 2010, a população do México é constituída maiormente por católicos com 82,7% da população, enquanto os protestantes correspondem à 7,5 % da população.     Via Christian Post

veja também