Pastores gays fundam igreja evangélica em Belo Horizonte

Pastores gays fundam igreja evangélica em Belo Horizonte

Atualizado: Quarta-feira, 10 Março de 2010 as 12

Após lutarem contra a própria orientação sexual e se assumirem como homossexuais, os pastores Marcos Gladstone, 34, e Fábio Inácio, 29, fundaram uma igreja evangélica em Belo Horizonte que prega o ''livre acesso ao Evangelho'', sem se opor ao homossexualismo. O primeiro culto da Igreja Cristã Contemporânea aconteceu no último sábado, em um hotel no centro da capital, quando ocorreu a inauguração da igreja. Pelo menos 30 pessoas, segundo os pastores, participaram da celebração. O próximo culto está marcado para domingo à noite no salão do hotel Amazonas.

Ontem, a reportagem de O TEMPO, conversou por telefone com o casal de pastores. Eles são do Rio de Janeiro, onde foi fundada a primeira unidade da igreja, em 2006. Marcos Gladstone, formado em teologia e direito, e Fábio Inácio, supervisor de telemarketing, foram os primeiros pastores do país a oficializarem uma união homoafetiva.

De acordo com o pastor Gladstone, a igreja nasceu de um sonho e do amor entre ele e o companheiro e a adoração que sentem por Jesus. "Durante anos convivemos com os preconceitos contra os homossexuais. Enfrentamos conflitos pessoais, mas hoje sabemos que Deus nos aceita como somos", afirmou ele.

Atualmente, segundo os pastores, existem mais duas outras unidades da igreja no Rio de Janeiro e aproximadamente 500 membros.

O pastor Fábio Inácio explicou que os cultos das igrejas são ministrados como em qualquer igreja evangélica, com oração, pregação e louvor. A bíblia usada também é a mesma. "Estamos levando a palavra de Deus para aquelas pessoas que desejam fazer parte de uma congregação, mas não são aceitas devido a sua orientação sexual", informou.

Apesar de a maioria dos membros ser gay (cerca de 90%), Gladstone e Inácio afirmam que a igreja é frequentada também por heterossexuais. "Os gays são a maioria porque não são aceitos em outras igrejas".

O cabeleireiro Guilherme Braga, 25, morador da capital, contou que era membro de uma tradicional igreja evangélica, mas, desde que tomou conhecimento da Igreja Cristã Contemporânea, vai ao local uma vez por mês. "O amor de Deus é sem preconceito. Agora eu me encontrei".

veja também