"Peço a Deus para me revestir com a armadura celestial", afirma o jogador Felipe Melo

"Peço a Deus para me revestir com a armadura celestial", afirma o jogador Felipe Melo

Atualizado: Segunda-feira, 8 Fevereiro de 2010 as 12

A pouco mais de quatro meses para o início da Copa do Mundo, o sonho de defender a seleção brasileira na África do Sul fica mais latente a cada dia. Impossível se desligar, mesmo quando se está vivendo a cansativa rotina do seu clube. Com Felipe Melo tem sido assim. Enquanto batalha para se tornar ídolo da Velha Senhora, o volante não consegue parar de sonhar com a possibilidade de ser hexa. Principalmente por estar na equipe de Dunga, da qual tem muito orgulho.

''O Dunga deu a pitada de sal que estava faltando à seleção. É uma seleção que joga, faz gol, é uma seleção que marca. Seleção de pitbull e de um monte mágico. É difícil fazer gol nesse time. Tem Robinho, Kaká, tanta gente que esconde a bola. Luis Fabiano que é matador, Nilmar que é matador. O Dunga reuniu tantas qualidades no mesmo time. Espero poder fazer parte desse time. O grupo não está fechado, ainda não tem ninguém garantido, pelo menos para mim, então sigo trabalhando com vontade'', explicou.

A vontade de vestir a camisa da seleção não faz Felipe Melo mudar seus hábitos. Ele continua levando a sério a sua responsabilidade como jogador do Juventus. Tirar o pé para evitar um problema médico nem pensar.

''Comigo isso não existe. Não sou esse tipo de jogador. É impossível você não pensar em Copa do Mundo. Isso é impossível. É o ápice da carreira de um jogador. Chegar a seleção é o ápice, disputar uma Copa é tudo que um jogador pode querer. Penso na Copa quando durmo, quando acordo. Mas penso no Juventus quando durmo e quando acordo também, afinal de contas é o Juventus que me dá o pão de cada dia. E tem mais: se você estiver bem no clube, leva isso para a seleção. As coisas caminham juntas'', explicou.

''Peço a Deus para me revestir com a armadura celestial''.

Evangélico, Felipe Melo tem em Deus um amigo. E é nele que ele se escora para superar os momentos difíceis.

''Não estou orando mais por ser ano de Mundial. Minha fé é a mesma. Peço a Deus para me revestir com a armadura celestial, e ele está sempre olhando por mim. Eu não tenho medo. O medo eu combato com trabalho'', disse.

A Espanha continua na liderança do ranking da Fifa. E segue com fama de melhor time do mundo, apesar de o Brasil ter conquistado a Copa das Confederações. Felipe Melo respeita a Fúria, mas não arrisca apontar um time como favorito absoluto para o Mundial. Nem mesmo o Brasil.

''A Espanha chegou favorita na Copa das Confederações e foi eliminada pelos Estados Unidos. Depois foi o Brasil, que começou perdendo por 2 a 0 e, se não abrisse os olhos, perderia o título para os americanos. Difícil falar de um time só. Não dá. Mas são sempre os mesmos, Brasil, Argentina, França, Itália... e ainda temos de ter cuidados com os africanos, que estão crescendo muito e atuarão em casa'', finalizou.

veja também