A pedra mais importante

A pedra mais importante

Atualizado: Quarta-feira, 4 Dezembro de 2013 as 1:02

pedrasCreio em tudo o que está escrito na Lei de Moisés e nos livros dos Profetas. (Atos 24.14b)
 
Para tirar da cabeça de Tértulo que o cristianismo é um partido ou uma seita, Paulo explica que os seguidores do Caminho dão sequência ao judaísmo, pois adoram o mesmo Deus, têm as mesmas Escrituras (a Lei e os Profetas), compartilham as mesmas esperanças (a ressurreição dos mortos) e possuem a mesma ambição (manter a consciência pura). O apóstolo quer mostrar que o cristianismo “é o próprio judaísmo que alcança o que esperava há séculos” e não uma “religião diversa do judaísmo” (nota de rodapé da Bíblia de Jerusalém). Além da estagnação do fervor religioso, do legalismo e da hipocrisia, o judaísmo estava perdendo a oportunidade de crer em Jesus como “o Verbo que se fez carne”, cumprindo assim as profecias messiânicas. A diferença básica entre judaísmo e cristianismo diz respeito à não aceitação de Jesus que caracteriza o primeiro grupo, e à aceitação do mesmo Jesus que caracteriza o segundo grupo. O Evangelho segundo João explica em poucas palavras: “[O Verbo] veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (Jo 1.11, RA).
 
Porque os judeus são os primeiros herdeiros, a eles o evangelho precisa ser pregado antes de ser pregado aos gentios (os não judeus). Mas a rejeição deles não pode prejudicar o anúncio das boas-novas aos gentios. O evangelho “é o poder de Deus para salvar todos os que creem, primeiro os judeus e também os não judeus” (Rm 1.16).
 
Enquanto os construtores judeus rejeitam a pedra mais importante de todas, os judeus cristãos fazem dela a pedra sobre a qual erguem o edifício da fé. Jesus é essa pedra, posta em Sião (Jerusalém), rejeitada por uns e aceita por outros, como Pedro explicou ao Sinédrio (2.11).
 
 
- Elben César
>> Retirado de Refeições Diárias: no Partir do Pão e na Oração.
 

veja também