Pensamentos

Pensamentos

Atualizado: Terça-feira, 9 Novembro de 2010 as 2:38

Quando falamos sobre os pensamentos precisamos também discorrer sobre os estímulos do raciocínio que para seu desenvolvimento é necessário um material vindo de fontes externas e internas.

O pensamento não precisa ser somente provindo do consciente ou da realidade em que vivemos, ele também flui motivado por estímulos abstratos, afetivos ou instintivos.

As pessoas saudáveis conseguem liderar bem seus pensamentos, e não ficar escravizados por eles. Nossos devaneios são sempre voluntários e reversíveis, isso significa que podemos entrar em pensamentos fantasiosos e retornar a realidade sem prejudicar nossa saúde mental.

No caso de estados doentios, esses devaneios ou fugas da realidade ficam independentes da vontade, são colocadas ao ser humano de forma absoluta e tirânica. Parece tratar-se de uma pessoa que despreza a realidade e vive uma realidade nova, que lhe foi imposta involuntariamente, da qual não consegue libertar- se. A própria percepção da realidade pode mudar nos transtornos psíquicos. Em determinados estados neuropsicológicos a realidade pode sofrer alterações de natureza bioquímica, funcional ou anatômica. Em outros estados, agora de natureza psicopatológica, os elementos da realidade também podem ser deturpados por fatores afetivos, emocionais ou psíquicos, de forma a prevalecer uma concepção do mundo determinada exclusivamente pelo interior do ser e não mais pela lógica comum a todos nós.

Temos dois tipos de pensamentos: O Derreísta ou Mágico que se desassocia diante da realidade, ou seja doentiamente se opõe a realidade. É aquele que se desvia da razão, sua característica principal é criar um mundo novo a partir das antigas cognições e novas representações, o que prevalece são seus desejos, anseios e angústias.

Para aqueles que acreditam ser normal e até desejável que a pessoa tenha seus pensamentos exclusivamente atrelados ao concreto e ao real, lembramos que essa limitação imposta ao pensamento, fazendo-o incapaz de afastar-se do absolutamente concreto, leva o nome de Concretismo, que também é uma alteração da forma do pensamento.

O segundo é o Pensamento Realista ou Lógico, esse é o pensamento onde a pessoa para resolver suas necessidades do dia a dia. Por exemplo, Contar dinheiro, pagar contas, dirigir, programar seu dia, comportar-se conscientemente, ser sensato e etc.

Um ser humano saudável pode oscilar entre esses dois pensamentos, o que não pode acontecer é perder-se da realidade e só viver o pensamento mágico, os transtornos podem iniciar a partir dessa premissa, onde a pessoa começa a oscilar e permanecer mais tempo no pensamento mágico. De modo geral, quanto maiores as angústias, mais recorremos aos Pensamentos Mágicos. Isso ocorre fisiologicamente nas pessoas normais, mas diante de situações psíquicas patológicas, a "opção" para o Pensamento Mágico se torna absolutamente tirânico.

O que normalmente determina se a pessoa está totalmente, parcialmente ou ligeiramente submissa aos seus Pensamentos Mágicos, é saber se essa pessoa tem ou não delírios.

Quando olhamos para a Bíblia, vemos Deus falando sobre seus pensamentos com relação ao homem. Ex. "Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais ". Jeremias 29:11

"Porque os Meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os Meus caminhos, diz o SENHOR. Isaías 55:8 Quão grandes são, SENHOR, as tuas obras! Mui profundos são os teus pensamentos ". Salmos 92:5

A idéia básica da palavra pensamento é o emprego da mente na atividade de pensar. A ênfase não está na compreensão, mas na criação de novas idéias. A palavra pensamento pode ter seis variações no Antigo Testamento.:

Primeira: "planejar, intentar".

Segunda: "Fazer Juízo".

Terceira: "Ter pensamentos passando pela mente", também tem o sentido de meditar.

Quarta: "Imputar", pode também ter um sentido de Fazer Juízo.

Quinta: "inventar" está também no sentido de elaborar.

Sexta: "Calcular, contabilizar", é usada nos tempos do sacerdote Joiada quando se fazia reparos no templo, a palavra era usada para pedir contas.

No novo Testamento a Palavra "Pensamento" pode significar "Raciocínio, Reflexão, Pensar, entendimento".

Colocando na perspectiva do Homem a afirmação bíblica através do apóstolo Paulo em Romanos 12:2 – "Não vos conformeis com ele século mais transformai-vos pela renovação da vossa mente para que experimenteis qual seja boa, perfeita e agradável vontade de Deus ".

Ou ainda dentro da Teologia Paulina IICoríntios 10:4-5: Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; destruindo Sofismas, (5) e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o pensamento à obediência de Cristo;

Esse dois textos nos apresentam posições relacionadas aos pensamentos:

O primeiro texto nos fala sobre renovação da mente, ele está se referindo a faculdade do pensamento, a razão em sua atividade e qualidade moral. A renovação por meio de valores bíblicos, isso deve ocupar nossa mente. Veja também Filipenses 4:8 "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento ".

O Segundo texto nos apresenta uma batalha que pode começar na mente.

Sofismas são raciocínios malignos e Deus nos dá armas para que possamos vencer Fortalezas, porque não dizer que elas também podem ser na mente, e raciocínios malignos que os sistemas do mundo promovem.

Nosso desafio é cuidar dos nossos pensamentos pois como disse o reformador

Martinho Lutero: "Não podemos impedir que os pássaros voem sobre nossas cabeças, mas podemos impedir que eles façam ninhos ". Lutero estava falando exatamente sobre os pensamentos.

A Melhor maneira de cuidar dos pensamentos é renová-los com o meditar da Palavra de Deus, mas se você tem problemas demais com os seus pensamentos procure ajuda especializada.

Luiz Henrique de Paula é   pastor, doutor em aconselhamento e cuidado de família. Presidente do "Conselho Metropolitano de Pastores e Ministros da Baixada Santista", psicanalista clínico, terapeuta de família e comunitário. Luiz Henrique é também conferencista na área da família e colunista da revista "Lar Cristão". Autor dos livros: "Quem manda na família Hoje". "Manual de Discipulado" e "Manual para a Família".   Apresentador do programa de TV Família um Projeto de Deus Casado com Jocilaine Amaral Machado de Paula, com quem três filhos: Letícia, Larissa e Luiz Daniel.

Blog do Ministério da Família

http://ministrodafamilia.blogspot.com/

Site do Ministério da Família

www.ministeriofamilia.com.br

Contato para palestras e consultas em psicanálise e terapia de família

tel.:   (13) 7806-6278

End.:   Rua Carvalho de Mendonça, 596 - Vila Belmiro - Santos/SP

veja também