Perícia isenta Igreja Renascer em Cristo de responsabilidade pelo acidente

Perícia isenta Igreja Renascer em Cristo de responsabilidade pelo acidente

Atualizado: Quinta-feira, 28 Maio de 2009 as 12

A Secretaria de Segurança Pública - órgão responsável pela investigação do desabamento do teto do templo da sede mundial da Igreja Renascer em Cristo - divulgou o  laudo técnico (nº 01/040/0336/09), finalizado na última segunda-feira, 25 de maio, no qual isenta a Comunidade da responsabilidade do acidente.

Segundo o Advogado da denominação evangélica, Dr. Luiz Flávio Borges D'Urso o laudo não deixa dúvidas quanto à atenção que a igreja deu aos cuidados necessários para que o telhado continuasse firme. ''O laudo resultante da perícia é preciso em estabelecer que o Instituto de Pesquisas Tecnológicas, IPT, detectou em 1999 a necessidade de reparos no telhado da Igreja, e esta prontamente buscou no mercado empresa de engenharia idônea, com capacitação técnica, contratando-a para tal serviço, que foi executado. Após a realização da reforma do telhado o próprio IPT confirmou que o serviço fora integralmente feito por aquela empresa'', afirmou.

Em documento datado de fevereiro de 2000, o IPT constatou o reforço necessário dado às deficiências existentes no telhado do templo com o trecho: ''3.3.2 - todas as tesouras por apresentarem deficiência nas ligações do banzo inferior, trechos 1-19-36 nas tesouras T01 a T14, foram reforçadas com vigas metálicas com seção tipo U de 100 mm ( 4 polegadas) , em todos os trechos mencionados''.

Tal atestado, como se vê, compreendeu, inclusive, o reforço das tesouras que sustentam o telhado. No entanto, o laudo do IC conclui que uma das tesouras não recebeu o reparo necessário, especificamente a tesoura T-14, permanecendo um ''vício oculto'', que gerou legitimamente para a Igreja Renascer a falsa sensação de segurança plena.

A conclusão do advogado da Renascer mostra que o laudo muda a direção das investigações sobre o caso. ''Assim sendo, como advogado responsável pelo inquérito em andamento, creio que a investigação terá novo rumo: apurar a responsabilidade de quem quer que seja pela tragédia''.

Foto: Marcos Corrêa

veja também