Perseguição contra cristãos aumenta 14% na China

Perseguição contra cristãos aumenta 14% na China

Atualizado: Segunda-feira, 11 Abril de 2011 as 8:39

O governo chinês intensificou a sua pressão contra os cristãos em 2010 pelo quinto ano da escalada de perseguição, segundo ChinaAid Association, uma organização cristã de direitos humanos com sede em Washington.

O relatório atual documentou que 3.343 pessoas foram perseguidas em 2010, um aumento de 14% em comparação a 2009. As detenções aumentaram 43% e 336 líderes de igrejas domésticas foram perseguidos. Globalmente, o relatório diz que a perseguição foi mais do que 193% em 2010 em comparação a 2006.

Espancamentos, torturas, detenções e demolições igreja assédio estão entre os 90 casos registrados de perseguição, um aumento de 17% ao longo de 2009, segundo um relatório divulgado pela ChinaAid em 31 de março.

Os casos "são apenas a ponta do iceberg", de acordo com uma nota de imprensa ChinaAid. "O governo chinês retém as informação e age de forma autoritária para repreender as medidas de segurança que visam facilitar a obtenção de uma imagem real da perseguição. No entanto, o fato de que as perseguições documentadas vinham de todas as partes da China e pessoas envolvidas em todos os níveis da sociedade, o relatório é um guia útil".

O relatório sugere que o aumento da perseguição pode ter sido provocado pela concessão do Prêmio Nobel da Paz ao dissidente chinês Liu Xiabao e o atendimento frustrado por mais de 200 delegados de igrejas domésticas chinesas no Congresso de Lausanne de Evangelização Mundial na África do Sul.

O relatório afirma que as autoridades chinesas, além de continuar perseguindo as igrejas e seus líderes em áreas urbanas, estão adotando táticas mais três de perseguição:

• O governo é severo ao reprimir os advogados de direitos humanos cristãos, que perseguia os cristãos têm defendido cada vez mais no país o sistema judicial. Mais de dois terços dos casos de perseguição em Pequim envolveu esses advogados, que são vítimas de violência e rapto.

• Enquanto o governo está a diminuindo a pena de prisão oficial contra os cristãos que podem se defender contra essas medidas no sistema jurídico, violência, máfia e intimidação (algumas pessoas simplesmente desapareceram), o que deixa os cristãos nenhum recurso legal.

• O governo está punindo três movimentos; patriótico das Igrejas (igrejas oficiais) que não conseguiram submeter a seu controle total. Fiéis são espancados, igrejas forçadas a licenciar-se, e alguns edifícios derrubados.

veja também