Perseguição é um tema básico em igreja africana

Perseguição é um tema básico em igreja africana

Atualizado: Quinta-feira, 21 Outubro de 2010 as 8:51

Para o pastor Imad Dabour, a perseguição é parte integrante do "ser cristão" no Norte de África, com a maioria muçulmana. O  pastor, em palestra no Congresso de Lousanne, disse que a região não teve nenhuma igreja durante oito séculos, mas que agora experimenta o crescimento, apesar dos desafios diários.

Embora não existam registros exatos, o número de cristãos no norte da África é estimado em dezenas de milhares. Em um ambiente tão hostil, não é fácil crescer com a nova identidade de cristão e muitos novos convertidos enfrentam a perda de seus amigos e familiares, Dabour explicou.

Com a perseguição que ocorre diariamente em toda a região, tornar-se um cristão é uma "grave decisão".

"Há duas coisas sobre o cristianismo que ensinamos às pessoas: a salvação, que traz muita alegria, e a perseguição. "A perseguição é um ensinamento básico de nossa igreja”, disse ele.

Apesar das dificuldades, a Igreja continua a ensinar a verdade de que Jesus é o único caminho. "É um ambiente hostil e um desafio diário para os cristãos com a nova identidade", disse ele.

Mais de 4 mil líderes cristãos estão na Cidade do Cabo nesta semana para o Terceiro Congresso Lausanne sobre a evangelização mundial.

Ontem foram abordados os desafios enfrentados pelos cristãos que vivem em regiões onde o conflito ou a perseguição é uma parte da vida cotidiana.

Também participará do Congresso Rajael Achi, que atua no ministério de crianças no Líbano. Ele disse que as crianças foram expostas à violência e o medo está estampado no rosto das pessoas no país e em toda a região do Oriente Médio. "Muitas pessoas perderam a esperança de um bom futuro no país e querem sair”.

veja também