Pesquisa revela luta de missionários contra pecados sexuais

Pesquisa revela luta de missionários contra pecados sexuais

Atualizado: Quarta-feira, 13 Outubro de 2010 as 4

“Sinto-me derrotado na tentativa de viver uma vida sexualmente pura.” “Eu luto contra a pornografia, fantasia e/ou masturbação.” Estas são algumas das oitenta questões sobre pureza sexual apresentadas pelo pastor Paul Sinclair a 617 missionários evangélicos norte-americanos e canadenses, do sexo masculino, obreiros de cinco agências missionárias transculturais. A pesquisa revelou que mais de 35% dos entrevistados admitem ou tendem a admitir que sofrem derrotas na área de pureza sexual; 56% afirmaram que foram expostos a pornografia ainda crianças; 36% fazem uso de comportamentos sexuais impuros para aliviar o estresse.

O questionário fez parte da tese de doutorado em ministério de Paul Sinclair pela Columbia Biblical Seminary and School of Missions da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. Ele, que foi missionário em Mali, na África, durante nove anos, afirma que os pecados sexuais são um problema real entre os missionários que saíram de seus países de origem. “Muitos vivem uma vida sexual desconectada dos outros papéis que assumem em seus ministérios e famílias. Com isso, o pecado sexual se torna uma válvula de escape para sentimentos negativos como solidão e situações de forte estresse”. Para Sinclair, o caminho da restauração passa pela construção de uma intimidade verdadeira e integrada. Para isso, é preciso confiar na graça de Deus, ser honesto consigo mesmo, ter companheiros de cura e colocar em prática disciplinas espirituais como oração, leitura e meditação bíblicas, jejum, solitude e silêncio.  

veja também