Pesquisadora protesta contra a proibição de mulheres no sacerdócio

Pesquisadora protesta contra a proibição de mulheres no sacerdócio

Atualizado: Quinta-feira, 11 Março de 2010 as 12

Em Manágua, capital da Nicarágua, congregações vinculadas ao Conselho de Igrejas Evangélicas Pró-Aliança Denominacional (Cepad) lembraram, na segunda-feira, o Dia Internacional da Mulher e o Dia Mundial de Oração, intercedendo por companheiras maltratadas e sofridas de Camarões e da Nicarágua.

O vice-diretor do Cepad, professor Evenor Jerez, destacou a maior participação da mulher na sociedade nicaragüense. Lembrou, contudo, que 21% do universo feminino sofrem algum tipo de violência na trajetória de suas vidas, segundo a organização espanhola Inter-Vida.

A pesquisadora Blanca Cortés, do Centro Intereclesial de Estudos Teológicos e Sociais (CIEETS) lamentou a inexistência de dados confiáveis no país a respeito da violência contra as mulheres perpetradas em meios evangélicos. Ela disse que é uma violência de gênero quando pastores não permitem a ordenação de mulheres ao sacerdócio.

veja também