Pessoas religiosas usam a intuição e não religiosos usam o raciocínio, dizem pesquisadores

Estudiosos analisam religião x raciocínio lógico

Atualizado: Quinta-feira, 3 Maio de 2012 as 10:23

'Pessoas religiosas preferem usar a intuição ao processar dados, enquanto os não religiosos usam o raciocínio detalhado'.

Essa é a conclusão dos pesquisadores Ara Norenzayan e Will Gervais, da Universidade da Colúmbia Britânica (Canadá).

Estudiosos com grande destaque em estudos da psicologia da religião, Norenzayan e Gervais concluem que influenciar as pessoas a pensarem de forma mais racional, reduz suas tendências religiosas.

Outros estudos também já mostraram que religiosos tendem a cair mais em pegadinhas lógicas, independente de QI ou nível educacional.

A dupla de pesquisadores formulou a metodologia da pesquisa combinando esse dado a uma técnica comum de psicologia experimental chamada "priming", que envolve o uso de um estímulo prévio para induzir a mente do participante a reagir de determinada maneira.

Leia também:

Silas Malafaia divulga vídeo em comemoração aos 30 anos de ministério

Quanto menos desenvolvido é o país mais se acredita em Deus

No estudo canadense, os voluntários tinham que realizar algumas tarefas. Metade delas poderia levar a um "priming" com o objetivo de estimular pensamento analítico, já a outra metade das atividades era neutra.

Ao final, quando os voluntários eram questionados sobre sua religiosidade, os estudiosos perceberam que o grupo com participantes com menos propensão a se declarar religiosos foi o grupo com participantes que tiveram o pensamento analítico estimulado.

Segundo Norenzayan e Gervais, o raciocínio analítico bloqueia os processos mentais intuitivos.


com informações do Christian Post

veja também