Pocket show do Vineyard traz louvores de quebrantamento e vozes suaves

Pocket show do Vineyard traz louvores de quebrantamento e vozes suaves

Atualizado: Segunda-feira, 15 Dezembro de 2008 as 12

Por Adriana Amorim

Em uma levada melódica, o ministério Vineyard se apresentou na última sexta-feira, dia 12 de dezembro, em São Paulo. O pocket show aconteceu às 20h, na Livraria da Vila, no shopping Cidade Jardim, e trouxe uma hora de louvores suaves, que são cantados em muitas igrejas do País.

"Vem esta é a hora", que é tema do DVD lançado em 2008 pelo Ministério, foi a música que abriu o pocket show. Na seqüência, tocaram "Reina em mim". Todas as canções marcadas pelo uso da guitarra, em muitos solos. Fabiano Alves, vocalista do ministério ao lado de Andréia Miassaca, falou aos convidados a respeito da música produzida pelo Vineyard, marcada pelo pop-rock, e apresentou uma canção ainda mais rock,                                .

O evento foi conduzido naturalmente, com músicas que expressavam intimidade com Deus e uma certa doçura. "A gente tenta passar despercebido para que o Espírito Santo tenha lugar para trabalhar particularmente no coração das pessoas. Então, nós nos esforçamos ao máximo para musicalmente criar um ambiente, para que possamos dar um passo para trás e deixar Deus agir. Facilitar para Deus e não ficar tentando manipular e controlar aquele período [...] Nós queremos participar quando Deus está agindo. Simplesmente na brisa, sabe? E quando Deus vem como um furacão nós queremos também nos envolver e participar, mas não é sempre que Deus vem dessa maneira", explicou Alves.

Muitas canções do DVD marcam a história do ministério no Brasil. Mas uma delas, segundo o vocalista, representa o momento atual do Vineyard, tocaram então "Me quebrantar", cantada baixinho pelas pessoas que foram ao pocket show.  

A noite também contou com uma homenagem, a canção "Me derramar". "Todas as músicas a gente toca para uma pessoa, que é o Senhor Jesus, mas essa música eu quero oferecer para a Greta. Ela faz muita falta para nós", explicou Fabiano Alves, emocionado ao falar da ex-vocalista, que atualmente mora nos Estados Unidos.

Para o músico Márcio Albano, que esteve na gravação do DVD e assistia ao pocket show, o som do ministério está direcionado para evangelização: "...eu tive a grande oportunidade de estar lá na gravação e ver o grande mover de Deus ali. O que chama muita atenção da gente é que é um som evangelístico, um som mais voltado para jovens. E hoje há um certo tipo de carência desse som, um som que fala a língua dos jovens. É uma banda evangelística".

A canção que mais marcou o ministério encerrou o pocket show."Senhor, te quero" foi cantada em coro.

Banda

Agora com uma banda de formação fixa, todos de Piratininga, interior de São Paulo, Fabiano Alves, explica que o Vineyard trouxe um DVD que deu uma "cara" ao ministério no Brasil: "As pessoas conheciam muito a Vineyard, conheciam as músicas, mas não sabiam quem tocava. Muitas vezes perguntavam: 'Puxa vida, mas são vocês que tocam essa? Essa também? Essa outra?' Eu acho, então, que o DVD vai trazer essa dimensão [...] Nós tomamos essa decisão mesmo, de agrupar uma banda, de firmar uma banda. No DVD, envolvemos outras pessoas, convidados especiais, honramos membros antigos, mas daqui para frente, essa equipe que se apresentou nesse pocket show é a que vai representar o ministério".

O poder da música

Fabiano Alves, em entrevista ao Portal Guia-me , explicou a importância da música no Reino espiritual e testemunhou: "Semana passada a gente estava em Campo Grande e um cara veio contar para mim que foi liberto das drogas. Ele estava em uma casa de recuperação e ganhou um CD do Vineyard. Disse que ouvia muito "Meu respirar", "Me derramar", e foi sendo liberto por Deus das drogas, simplesmente por escutar as músicas do CD".

O vocalista acredita que músicas de quebrantamento podem falar por si mesmas, sem a necessidade de um interlocutor para ministrá-las: "A própria música fala, a gente não precisa dizer nada. Ela vai lá e é poderosa. Deus deu esse poder à música para que ela mesma toque o coração da pessoas. Foi mais ou menos o que aconteceu hoje aqui. A gente está em um ambiente não-cristão, com várias recomendações para não fazer a coisa ficar parecida com o que acontece na igreja, e simplesmente a gente crê no poder da música. Enquanto nos apresentávamos aqui não fizemos orações, não ministramos nada, mas eu via pessoas chorando, mesmo sentadas, sendo tocadas pela música".

veja também