Poder da fé recupera moradores de rua

Poder da fé recupera moradores de rua

Atualizado: Segunda-feira, 20 Setembro de 2010 as 9:19

Em todo o mundo, a Igreja Universal do Reino de Deus realiza ações sociais em diversos setores da sociedade: hospitais, presídios, comunidades carentes, orfanatos, clínicas de recuperação, asilos, entre outros.

Recentemente, voluntários do grupo “A gente da Comunidade”, do Rio Grande do Sul, criaram um projeto de apoio aos moradores de rua, chamado “Anjos da noite”, com o objetivo de promover ações sociais no centro da capital gaúcha. O trabalho existe desde 2006 e é coordenado pelo obreiro Alex Mendes, que uma vez por semana se dirige aos pontos de concentração de moradores acompanhado de voluntários para distribuir sopas, jornais e orações a todos os necessitados. "Esse trabalho é muito importante, pois todos os colaboradores tem se doado para alcançar pessoas que sofrem com o abandono, a solidão e a dependência química. Nós estamos fazendo nossa parte e não esperando apenas pelas ações dos órgãos públicos", explica o obreiro.

Durante a ação, muitos moradores se sentiram acolhidos e aceitaram o convite para participar de reuniões no templo da Igreja. Convite que um dia o ex-andarilho Welington Brito (foto abaixo, ao lado da esposa), de 51 anos, recebeu e desprezou. Ele conta que tinha uma família feliz, um ótimo trabalho e já havia sido convidado para participar das reuniões da Igreja Universal, mas sempre recusava. Porém, a curiosidade de conhecer o mundo das drogas fez com que ele perdesse tudo e vivesse por 2  anos nas ruas. “Eu deixava de colocar comida dentro de casa para poder comprar o crack. Diante desta situação, minha esposa e eu nos separamos e ela teve de ir morar com a mãe dela”, lembra.

Embora ele estivesse longe, a esposa, Cecília Brito, de 50 anos, que já frequentava a Igreja Universal, buscava pelo marido em oração. Mas, com o passar do tempo e falta de notícias, Cecília decidiu se separar judicialmente dele. “Ela pensava que eu havia morrido e sido enterrado como indigente”, conta Brito.

Em meio à vida de vícios, o andarilho procurava abrigo em casas abandonadas e favelas, até que foi surpreendido com uma situação desesperadora: “Devido ao meu envolvimento com traficantes, passei a ser procurado pela polícia e fui jurado de morte pelos próprios colegas do tráfico que me ofereciam drogas. Sem ter a quem pedir ajuda, lembrei dos convites que recebi que me falavam de Deus e decidi ir para a casa do meu irmão, que me acolheu.”

Determinado a largar os vícios, Brito começou a frequentar a Igreja Universal, onde travou uma luta contra a própria vontade por 8 meses, até se livrar completamente do domínio do crack. “No começo foi muito difícil, pois eu sonhava com a droga. Mas eu estava decidido a abandonar aquela vida e queria fazer uma surpresa para a minha família”, diz.

Após ter superado a fase de desintoxicação, ele enviou flores à esposa, com uma foto e um cartão, explicando a transformação que Deus fez na vida dele. Hoje, 12 anos depois, aquele homem andarilho e viciado deu lugar a um empresário bem sucedido, sóbrio, que tem uma família unida e feliz. “Voltei para casa e eu e minha esposa casamos novamente. Mesmo liberto, eu queria mais, pois sabia que o mesmo Deus que me libertara também poderia me fazer prosperar. Eu participei das campanhas de fé da Igreja e conquistei minha empresa, carro, casa própria e a paz que tanto procurava. Agradeço ao Senhor Jesus por tudo o que Ele fez e tem feito na minha vida”, finaliza.  

veja também