Polêmico autor relata histórias dos valentes religiosos na China

Polêmico autor relata histórias dos valentes religiosos na China

Atualizado: Terça-feira, 29 Novembro de 2011 as 8:57

Muitos devem estar se perguntando, como uma sociedade abertamente ateia abriga 70 milhões de cristãos praticantes no país? Apesar de todo o envolvimento de um governo totalitário que tentou banir as formas de fé do país, a luta dos líderes cristãos persiste na busca pela liberdade religiosa.

Prova disso é o novo livro do jornalista Liao Yiwu Deus é vermelho. Uma obra que vai deixar para a humanidade histórias de um povo que viveu a sua fé às escondidas e por isso paga um preço alto. Fatos marcantes – como o Massacre da Praça da Paz Celestial que aconteceu em 1989, quando o exército chinês reprimiu violentamente um protesto em massa por liberdade e democracia, deixando um saldo de 3,6 mil mortos e 60 mil feridos – ficaram conhecidos mundialmente.

Em Deus é vermelho , Liao traz aos leitores, pela primeira vez, uma coleção de 18 entrevistas vagamente interligadas e ensaios escritos entre 2002 e 2010. Algumas histórias, embora únicas e pitorescas, ilustram as experiências de cristãos chineses comuns e evidenciam as controvérsias políticas e sociais que os envolvem e, por vezes, ofuscam a questão da fé cristã na China hoje.

Outros trechos capturam os anos sombrios da era Mao, quando as garras da perseguição política não deixaram nenhum local intacto na China e milhares de cristãos foram torturados e assassinados. Cada história narrada neste livro coloca um rosto humano sobre as batalhas políticas históricas e contínuas, encenadas por pessoas comuns contra o que ainda é um Estado policial. O passado, o presente e o futuro coexistem nas páginas desta intrigante obra que chega ao Brasil pela editora Mundo Cristão.

Sobre o autor

Yiwu é um autor chinês, repórter, músico e poeta. Ele é um crítico do regime chinês, motivo a qual foi preso. Seu poema épico “Massacre”, composto em 1989 em condenação à sangrenta repressão do governo na Praça da Paz Celestial, o levou a quatro anos de prisão. Seu livro “The Corpse Walker: Real Life Stories, China from the Bottom Up”, de 2008, que narra a vida dos marginalizados da sociedade comunista, permanece proibido lá.

  Com informações da assessoria de Imprensa

veja também