Policial abandona carreira militar para se dedicar ao ministério: "Dei um passo de fé"

Terrance estava feliz em servir seu país como policial, mas algo incomodava seu coração. Uma abordagem surpreendente fez ele perceber que era o momento de se dedicar ao ministério.

fonte: Guiame, com informações do Charisma News

Atualizado: Quinta-feira, 29 Junho de 2017 as 10:23

A fé de Terrance alimentou sua ética de trabalho e fez com que seu exemplo mudasse a visão das pessoas. (Foto: Reprodução).
A fé de Terrance alimentou sua ética de trabalho e fez com que seu exemplo mudasse a visão das pessoas. (Foto: Reprodução).

É fato que a violência tem aumentado pelo mundo e nos Estados Unidos não é diferente. Dallas, Texas e Carolina do Norte são exemplos de lugares onde tiroteios têm abalado os moradores locais. Outros fatores é o caos, os tumultos e os conflitos raciais. Foi por motivos assim que Terrance Howell decidiu se tornar um policial, para levar a segurança a sua cidade.

Ele se juntou aos militares de Franklin, Virginia (EUA), na esperança de fazer uma mudança em sua comunidade. "Como oficial de polícia, você é visto de maneira diferente", disse Terrance à CBN News. "A maioria das pessoas, quando ouvem tiros, estão fugindo de onde os tiros estão vindo. Como policial, você é treinado para ir para onde esses tiros estão acontecendo".

O chefe de polícia da cidade ainda se lembra de Terrance por um "pequeno algo extra" que ele trouxe para o trabalho. "Nós entramos nesse negócio com o pensamento de que vamos mudar o mundo e fazer coisas boas", disse Philip Hardison. "Nos cinco anos que Terrance esteve conosco, ele fez coisas boas e mudou as impressões de muitas pessoas nesta comunidade, em um sentido favorável sobre como os policiais são vistos", disse.

A fé de Terrance alimentou sua ética de trabalho, mas também provocou uma mudança. "Então você está confortável, você está servindo seu país, você está fazendo o que muitos considerariam uma carreira honrosa, e ser um homem negro fazendo isso também é de grande honra", disse o repórter da CBN News, Efrem Graham. "O que aconteceu? Existe uma luta dentro de você? O que está acontecendo?", indagou.

Música

"Sempre quis ser músico", respondeu Terrance. "A música sempre foi algo muito importante para mim, correndo pela minha família. Minha família é basicamente de músicos e ministros. Eu também queria ser músico", revelou.

"Eu lembro muitas vezes, trabalhando no turno da noite, de ter pensamentos e visões sobre música. Eu sempre tive isso na minha mente, mas a realidade era que eu estava na polícia". Terrance se convenceu de que a aplicação da lei era a carreira certa até que um encontro incomum mudasse completamente a direção de sua vida.

Transformação

"Eu estava realmente pensando na carreira em música quando um dia eu estava indo de porta em porta, colocando intimações e havia um cavalheiro mais velho que estava me observando da varanda da frente. Apenas observando-me. Ele disse: ‘Jovem, venha aqui’. Então eu fui para onde ele estava", disse Terrance.

"Ele foi para cima das grades, e me olhou nos meus olhos: ‘Quando você vai deixar esse emblema e arma e começar seu trabalho real, filho? Seu verdadeiro trabalho está no reino de Deus. Seu trabalho real é no ministério", disse Terrance, quando contou sobre as palavras do homem. "É hora de começar seu trabalho real".

Um salto de fé

Terrance nunca mais viu o homem. "Eu sabia que era plano de Deus", disse o compositor. "Eu tomei a decisão então de dar esse salto de fé". Esse salto impulsionou Terrance para uma carreira musical bem sucedida e, em 2014, lançou a empresa Revival Music. Ele disse que quer fazer um movimento para trazer unidade e cura para comunidades cristãs.

"Minha alegria é reunir as pessoas", disse ele depois de uma gravação ao vivo em maio. "Trazendo diferentes origens, diferentes raças se juntando, unidas em um objetivo, e isso é adorar e mostrar amor uns aos outros", comentou. A gravação incluiu Joseph Stallings da CBN e Sharon Jackson.

"Eu estive em muitos grupos, toquei muita música e cantei muitas canções, mas o que é diferente sobre o culto de avivamento é que cantamos sobre o Deus vivo", disse Joseph. Sharon disse que ela foi atraída para ser parte desta gravadora. "Cada pessoa é importante", disse ela. "E a outra coisa que eu amo é que cada pessoa é tão diferente. Eu acho que isso diz muito em nossa cultura quando somos de igrejas diferentes, quando somos de diferentes origens étnicas, quando somos de diferentes denominações”, finalizou.

veja também