Pr. Márcio Valadão comemora aniversário junto a amigos

Pr. Márcio Valadão comemora aniversário junto a amigos

Atualizado: Quinta-feira, 25 Novembro de 2010 as 12:32

Na terça-feira, 16/11, no sítio Olaria do Rei, em Betim / MG, esteve reunido com o pastor Márcio Valadão toda, toda uma equipe de quase uma centena de funcionários celetistas que compõe e forma a engrenagem da Lagoinha nos seus múltiplos ministérios. A ocasião foi muito mais que apenas um encontro entre “patrão” e “empregados”. Melhor dizendo, nada parecido com isso, haja vista que essas terminologias não se encaixam bem para todo um contexto e uma dinâmica de serviço, dedicação e amor sem restrições ou reservas que envolve o “trabalho” no Reino (“trabalho” também não cabe bem, mas só força de expressão para reforçar) relativo à Igreja de Cristo onde a Lagoinha é parte.

Na ocasião do encontro, dinâmicas e atividades diversas. Como a do estudo em grupos por capítulos da clássica obra de Charles Swindoll, "Eu, um Servo? Você está brincando" (Editora Betânia), quando todos tiveram a oportunidade de compartilhar entre si e com os outros do que aprenderam do significado e da prática do ser servo, com todas as suas implicações. Na ocasião também do evento, louvor, adoração, atos proféticos, ministrações e uma palavra do próprio pastor Márcio Valadão.

“Estamos no melhor lugar da Terra. Mas também no ‘pior’ no sentido de ser a igreja o local onde satanás investe toda sua fúria para destruí-la”, afirmou ele referindo-se ao estar e atuar na igreja.

Sobre o servir na igreja e à igreja, ele afirmou em incentivo aos companheiros, colegas e irmãos em Cristo (para ser mais exato, às “ovelhas”, pois ele mesmo lembrou: “Não sou patrão. Sou pastor”.), o pastor Márcio Valadão colocou: “Deus nos tem dado o privilégio de sermos servos do Servo, Jesus. Como levitas, temos que nos dedicar a oração em tudo o que fazemos. Não se trata de onde trabalhamos, mas para Quem trabalhamos. Ao fazer o que faz hoje, faça-o com esse desejo de fazer o melhor, com a consciência de que estamos fazendo para o Pai.”

A ocasião do evento também foi oportuna para a confraternização, a comunhão, o entretenimento, tudo em nome da edi cação e do crescimento mútuos. Haja vista que a missão é grande, bem como a obra e os desafios, o momento era mais que esperado, mas gerado até em intercessão e organização, se considerarmos que as investidas das trevas são muitas, assim como o cansaço e o desgaste inerentes. Daí que o evento também serviu de bálsamo e alento para todos os presentes.

Algo que merece também destaque em relação ao evento é que a sua realização foi uma espécie de “prévia” de celebração pelos 62 anos de vida do pastor Márcio a ser comemorado nesse próximo dia 24 de novembro. Foi uma surpresa e uma realização, até, para ele não só porque não esperava, mas porque teve a oportunidade de estar tão próximo e perto de pessoas que com ele tem feito a Lagoinha acontecer. Talvez por isso e muito mais que ele se mostrou ainda mais amoroso, cordial, acessível a todos, inclusive nos momentos em que parou para tirar fotos com quem quis e desejou. A propósito e a título de fechamento da presente matéria, cabe aqui citar o que o próprio pastor Márcio Valadão afirmou em entrevista ao portal Lagoinha.com na ocasião da comemoração de seus 61 anos de vida:

“ Eu vejo apenas a bondade de Deus, porque nada disso teria acontecido se não fosse realmente o amor, a bondade e a misericórdia dele. Agora como explicar isso? Não sei. Porque nós não conseguimos explicar o amor de Deus, que é sempre incondicional. Se eu completo então esses anos de vida não é pelo fato de ter tanta saúde, ou por isso ou aquilo, mas é porque Ele continua tendo um plano e um propósito na minha vida. E eu quero continuar vivendo cada dia para cumprir esse propósito. Tenho sonhos para viver até 100 anos e eu posso descrever cada detalhe desses sonhos. Mas eu só tenho o dia de hoje para viver. Então, eu olho lá para frente, muito para frente, mas procuro viver cada dia. Eu vivo esse dia intensamente e sei que o melhor de Deus ainda está por vir. O presente que gostaria de ter dele é ver exatamente esses 10% de Belo Horizonte - hoje 250 mil pessoas - aqui em Lagoinha aos pés dele, como uma expressão da bondade do Senhor. Não no sentido de uma estatística, mas de vidas sendo realmente alcançadas e transformadas. Eu creio que a única coisa que alegra o coração de Deus é a salvação de vidas. E eu creio também que para aqueles que servem ao Senhor a mesma alegria faz parte também de suas vidas. Ou seja, de Deus, pela bondade dele, estar nos usando para mudar o destino eterno de pessoas. A minha gratidão a cada irmão que tem lembrado de orar pelo pastor Márcio. Se o apóstolo Paulo, um homem daquela envergadura, sempre pedia ‘orem por mim, orem por mim’, quanto mais o Marcinho que chegou aqui na igreja! Por isso eu continuo pedindo: orem por mim. ”

Por Marcelo Ferreira

veja também