Pr. Valdo Romão fala da celebração do Dia da Convenção Batista do Estado de São Paulo

Pr. Valdo Romão fala da celebração do Dia da Convenção Batista

Atualizado: Quarta-feira, 5 Dezembro de 2012 as 4:35

A lei nº 14.548, de 22 de setembro de 2011 é fruto do Projeto de lei nº 1434/09, do Deputado Uebe Rezeck – PMDB, decretada pela Assembleia Legislativa de São Paulo e promulgada pelo governador Geraldo Alckmin.

 
O decreto estabelece 16 de setembro como o Dia da Convenção Batista do Estado de São Paulo.
 
No próximo domingo, 16 de dezembro, a CBESP comemora seus 108 anos de existência.
 
Em entrevista, o pastor Valdo Romão fala sobre os motivos de celebrar com a CBESP e a importância da data comemorativa. Confira:
 
Qual é o significado do Dia da CBESP para os batistas?
 
Pr. Valdo Romão - Primeiro, o Dia da CBESP representa o reconhecimento do povo paulista, através da sua maior casa de leis, que, nós, batistas temos uma trajetória que tem contribuído ao longo dos seus 108 anos de história nas diferentes áreas como: educação, assistência social e resgate da dignidade do ser humano, tendo em todas as suas ações apresentado o projeto de Deus para o homem, quer seja ele criança, adolescente, jovens e adultos de todas as idades. Pelo trabalho das igrejas batistas na sua obra cooperativa, os princípios éticos, morais, ensinados pelos batistas têm formado muitos, contribuindo, desta forma, para tenhamos uma sociedade mais justa e igualitária.
 
Que importância tem esse reconhecimento por parte do Governo do Estado de São Paulo?
 
Pr. Valdo Romão - Com a promulgação do Dia da CBESP pelo Governo do Estado de São Paulo, esse ato se reveste de muita importância, considerando que fazemos parte dos evangélicos históricos, chegados ao Brasil num período da nossa história, em que se quer podíamos nos reunir em edifícios com aparência de templo, como prescrevia a Constituição do Brasil de 1824. O reconhecimento por parte do Governo do nosso Estado demonstra a nossa contribuição para a democracia. Vencemos preconceitos e avançamos para todo o território nacional, hoje, só no Estado de São Paulo, com mais de 1600 templos, sempre levando a mensagem que liberta e dá ao homem a dignidade, que só a pessoa de Jesus confere.
 
Que motivos os batistas do Estado de São Paulo têm para comemorar nesses 108 anos?
 
Pr. Valdo Romão - Sendo uma instituição que congrega as igrejas batistas do Estado de São Paulo, são muitos os motivos que podemos ressaltar que justificam celebrar os 108 anos. Cada igreja batista da Convenção tem o seu programa voltado para atender às necessidades humanas, desde a maior delas, que é a falta de paz que os homens têm para com Deus, pela separação provocada pela desobediência a Ele; passando pela falta de paz que eles têm para com o próximo e também para consigo. Celebramos o resgate da dignidade humana pelo poder da mensagem que pregamos, a mensagem de Jesus. Celebramos a harmonia que pode ser testemunhada na vida de tantas
 
famílias, alcançadas pelos ensinos da Palavra de Deus pregado pelas igrejas. Celebramos a libertação que muitos tiveram dos vícios que tanto mal lhes fazia. Celebramos a direção para vida que crianças, jovens e adultos puderam ter quando ouviram a mensagem dos batistas que prezam pela Palavra de Deus, tendo-a como única regra de fé e prática para a vida. Quantos motivos poderíamos acrescentar a estes como: a boa educação dada em nossos educandários, a base teológica ensinada em nossos Seminários, o abrigo dado em nossos lares para crianças e recanto dos avós. Deus nos ofereceu a oportunidade de estendermos as mãos e nós estendemos as mãos e o resultado hoje ai está.
 
Quais foram as maiores vitórias em 2012?
 
Pr. Valdo Romão - Somamos a cada semana, vitórias. A cada domingo, noticiais nos chegam de todos os cantos do nosso grande Estado, dando conta da ação de Deus sobre vidas que se encontravam sem qualquer esperança e pela graça infinita de Deus usou as igrejas para apontar saídas para tantos. O ano de 2012 as igrejas continuaram investindo para que pessoas escravas dos vícios os deixassem. A Cristolândia é um exemplo do poder da mensagem que as igrejas da Convenção pregam. Jovens, outrora sem qualquer direção para vida, agora libertos louvando a Deus. O trabalho missionário intenso nos hospitais. A mensagem que liberta, pregada nos presídios (masculinos e femininos). O esforço feito para evangelizar os estudantes universitários. A evangelização que tem alcançado algumas etnias como: hispânicos, árabes e rastafáris. A construção de templos. A plantação de novas igrejas em diferentes regiões. São muitas as vitórias. Rendemos a Deus toda a honra e toda a glória.
 
De que maneira os batistas têm sido relevantes na sociedade paulista?
 
Pr. Valdo Romão - Pelos motivos já citados aqui, a relevância dos batistas diante da sociedade paulista tem sido destacada. O próprio Governador do nosso Estado, Geraldo Alckmin, certa feita em encontro com ele, no Palácio dos Bandeirantes, disse que admirava os batistas, pois nós dávamos atenção a todas as faixas etárias da população. Cuidávamos de crianças (os lares); cuidávamos dos adolescentes e jovens (Cristolândia) e cuidávamos dos idosos (Recanto dos Avós). Isso na área social. Mas, além disso, contribuímos com a formação intelectual com os nossos colégios. A formação teológica através das nossas Faculdades Teológicas. No entanto, penso que a maior relevância dos batistas para a sociedade paulista são seus mais de 1600 templos que abrem as suas portas para atender aqueles que vivem sem esperança, sem salvação. Dos púlpitos desses templos são pregados, a cada semana, a mensagem de Cristo. Jesus é apresentado como aquele que veio buscar e salvar o que se havia perdido. Jesus é apresentado como o caminho, a verdade e a vida.
 
 
com informações de Myrian Rosário
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fotos: Myrian Rosário
 
 
 
 

veja também