"Pra Deus não há impossível", afirma Bosco, goleiro do São Paulo

"Pra Deus não há impossível", afirma Bosco, goleiro do São Paulo

Atualizado: Terça-feira, 27 Outubro de 2009 as 12

Seu nome é João Bosco Freitas, pernambucano de Recife. A infância sofrida poderia apontar para um futuro nada brilhante. Bosco morava em um subúrbio de Recife e assistiu à separação de seus pais ainda muito novo. As necessidades eram grandes. Porém, ao contrário do que aquelas condições davam a prever, Bosco chegou onde sempre quis: tornou-se um profissional do futebol.

Em entrevista ao programa Papo de Esporte, da TV Rede Super, o atual goleiro do São Paulo Futebol Clube conta que começou sua carreira em um clube de pouca expressão. Para ir aos treinos, Bosco precisava enfrentar uma verdadeira maratona: eram quatro ônibus a cada dia de treino. Seus irmãos bancavam os custos com a passagem.

No caminho rumo ao profissionalismo, uma pedra apareceu: aos 16 anos, Bosco teve seu primeiro contato com as drogas e com a bebida. O goleiro, que se casou aos 17 anos, conta que vivia uma vida de adultério.

Marido de uma mulher evangélica, Bosco lembra de quando chegava bêbado em casa. A esposa do goleiro, perseverante, pagava um alto preço de oração para que Bosco tivesse sua vida transformada. E foi o que aconteceu.

A convite de sua mãe, que é católica, João Bosco aceitou visitar uma igreja. ''Já na primeira visita, Deus tocou meu coração'', diz. E foi exatamente no dia 7 de janeiro de 1996 que Bosco se converteu, na 1ª Igreja Batista do Janga, em Recife (PE).

O goleiro conta que a primeira área que Deus transformou em sua vida, foi o casamento. ''Meu casamento estava destruído'', lembra. ''Foi uma mudança radical''.

Em 2001, época em que jogava no Cruzeiro, Bosco frequentou a Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte. Hoje, membro da igreja Sara Nossa Terra, em São Paulo (SP), o goleiro tem colhido os frutos de sua experiência de vida. ''Temos um trabalho de células em nossa casa, onde aconselhamos casais com problemas'', diz.

A história de João Bosco atesta o que está escrito em Jó 14:7-9: ''Para uma árvore há esperança; se for cortada, brota de novo e torna a viver. Mesmo que as suas raízes envelheçam, e o seu tronco morra na terra, basta um pouco de água, e ela brota, soltando galhos como uma planta nova''. ''Pra Deus não há impossível. Ele muda qualquer coração'', conclui Bosco.

veja também