Precisamos de libertação financeira, afirma Luciano Subirá

Precisamos de libertação financeira, afirma Luciano Subirá

Atualizado: Segunda-feira, 8 Março de 2010 as 12

Os empecilhos existentes na adoração foram o tema da ministração do Pr. Luciano Subirá, na sexta-feira, 5, em Fortaleza (CE). Pregando durante 15 dias em diversas igrejas da capital cearense, Subirá tem abordado temas como finanças e adoração para milhares de pessoas. Para acompanhar as pregações do líder do Ministério Orvalho (de Curitiba - PR), a cantora Heloísa Rosa aceitou o convite de seu pastor e tem ministrado o louvor nesses cultos, durante todos esses dias.

Segundo o preletor da noite, assim como no capítulo 5 do livro de Êxodo, Faraó tentou dificultar de forma ardilosa a saída dos judeus do Egito para que esses pudessem adorar a Deus em uma grande festa no deserto, os cristãos dos dias atuais também são tentados a se acomodar em situações nas quais não seja possível prestar uma adoração de forma integral. Ao ver que Moisés quer levar embora o povo de Israel, Faraó tenta, com ''contrapropostas'', amenizar os prejuízos dessa migração. Eram elas, quatro alternativas propostas pelo rei do Egito: 1ª - Adorar a Deus ali mesmo, onde estavam; 2ª - Adorar no deserto, mas próximo de seus domínios; 3ª - Os homens poderiam ir, mas as mulheres e crianças ficavam; 4ª - Irem todos embora, mas deixando todos os bens no Egito. Luciano Subirá viu um paralelo claro entre a libertação do povo de Israel e a redenção do ser humano a Cristo.

''Nós temos uma nação que em um só dia deixa de ser escrava de Faraó, sai em uma peregrinação depois de comemorar a primeira páscoa, que é uma figura também muito forte de redenção. Paulo escreve a Coríntios e chama Jesus de 'Cordeiro da Páscoa', ou seja a figura daquele sacrifício e de tudo o que significou, que tinha no Velho Testamento, na Velha Aliança tem uma aplicação para nós hoje. E assim como vemos nesse texto, um povo escravo do Faraó, o povo de Deus com destino a uma terra prometida, nós também, diz a Bíblia em Colossenses 1:13 Fomos arrancados do império das trevas. Saímos em um só dia debaixo de um jugo de escravidão para pertencer e caminhar em direção a uma herança. Porque Deus tem nos dado em Cristo Jesus uma herança'', lembrou.

Empecilhos

Segundo o Pr. Luciano, as contrapropostas de Faraó tiveram diferentes níveis de sutileza, indo das intenções mais transparentes às mais camufladas possíveis. Opções como a primeira, por exemplo - adorar ali mesmo, no Egito - são caraterizadas pelo preletor como uma sugestão ''descarada'' de Faraó, a qual provavelmente seria recusada imadiatamente por muitos. Porém segundo Subirá, ficar próximo aos domínios do Faraó já não parece mais tão agressivo.

''Eu acredito que cada uma dessas quatro contrapropostas de Faraó - que para nós, é uma figura de Satanás, que nos tiranizava, assim como a libertação do povo de Israel é uma figura da nossa redenção - tem a capacidade de 'anular' a nossa adoração. Quando ele [Faraó] não conseguiu impedir o povo de adorar, tenta levá-los a quebrar princípios, a ponto da adoração não ter valor. E foi que nós dizemos que Jesus quando cita Isaías, chama de adoração inútil e diz 'Em vão me adoram'. Eu creio que qualquer uma das quatro é prejudicial . Mas eu realmente creio que é algo progressivo. Acredito que, como foi dito, 'estar no Egito' é uma proposta descarada, que muitos de nós não vamos cair nela, mas estar por perto é mais sutil'', alertou.

A divisão no lar ainda foi citada por Subirá como uma proposta perigosa de Satanás e que alcançou grande influência entre os cristãos da atualidade. Para o preletor, tal empecilho à adoração já tem sido remediado por inúmeros ministérios que buscam cuidar dessa área nas igrejas brasileiras, mas o pastor lembrou que os problemas nessa questão ainda existem.

''Quando O Faraó faz a terceira contraproposta, ordenando que os homens saiam, mas que fiquem as mulheres e crianças, é uma tentativa dele, de impedir as famílias também é mais sutil que as duas primeiras e, durante muitos anos, eu creio que tenha sido um problema sério na igreja brasileira. Hoje, não quer dizer que nós deixamos de ter problemas nessa área, mas muitos ministérios estão se dedicando à restauração de famílias'', salientou.

Porém a área financeira ainda é, na opinião do Pr. Luciano, a última tentativa de Satanás na vida dos cristãos, para que a adoração torne-se nula. Segundo o líder, a Igreja ainda não acordou totalmente para perceber complexidade desse problema.

''Eu creio que mexer nessa área de adorar ao Senhor com os bens foi a última tentativa. Nós estamos quebrando esse princípio pela ignorância, porque mesmo as igrejas que pregam muito sobre essa área de finanças, estão pregando uma contribuição que visa a realização de projetos e o que Deus quer é muito mais que isso. A gente não é contra a contribuição para os projetos - eu contribuo muito -, mas é a visão de adoração, de fazer isso, não pelo o que será feito com os recursos, mas por amor ao Senhor, por coloca-lo em primeiro lugar. Eu acho que nesse sentido isso é delicado e eu tenho gasto muito tempo e energia do meu ministério, tentando ensinar nessa quarta área, porque eu creio que a gente precisa mesmo de muita libertação em relação a isso'', advertiu.

  Louvor e Adoração

Concordando com seu pastor, a cantora Heloísa Rosa, lembrou que louvar e adorar deve estar acima de tudo. Provando isso, mostrou que sua viagem a Fortaleza não tinha nenhum objetivo de divulgar o seu trabalho, mas sim ministrar o louvor junto ao seu líder ministerial, Luciano Subirá.

''Para falar a verdade, durante esses dias, eu não cantei exatamente as minhas músicas. A gente procurou deixar o espírito santo livre. Então eu cantei músicas do David [Quinlan], algumas minhas, a 'Grandioso és Tu' no começo... Não tem aquela regra de 'Vou cantar só as minhas músicas'... O que Deus trouxer ao nosso coração, a gente canta. Eu não vim para fazer o meu trabalho, mas sim para somar, servir, estamos aí juntos'', lembrou.

Em seu depoimento, Heloísa ainda lembrou que Fortaleza não é bela somente por suas famosas praias ou pela hospitalidade do povo cearense. A cantora lembrou que encontrou algo muito mais especial durante sua estadia na capital cearense.

''O pessoal aqui é muito joia! Muito carinhoso! É a primeira vez que eu venho para cá, mas já estou muito satisfeita por conhecer amigos de Deus, realmente. Deus me apresentou muitos amigos dEle aqui. Então eu acho que isso é que faz a diferença e a beleza de uma cidade'', festejou.

Por João Neto - www.guiame.com.br

veja também