"Prefiro morrer do que abandonar Cristo", diz viúva de cristão assassinado na Índia

Chandan e seus filhos se salvaram, mas seu esposo foi morto na selva pelos extremistas.

fonte: Guiame, com informações da Gaceta Cristiana

Atualizado: Quarta-feira, 7 Março de 2018 as 12:08

Imagem ilustrativa. Seu marido foi morto por militantes comunistas que tem assassinado milhares de cristãos na Índia. (Foto: Reprodução).
Imagem ilustrativa. Seu marido foi morto por militantes comunistas que tem assassinado milhares de cristãos na Índia. (Foto: Reprodução).

Cerca de 30 naxalitas (grupo de militantes comunistas que operam em diferentes partes da Índia) invadiram a casa de um casal cristão, Aadarsh ​​e Chandan. Graças a Deus, nenhum de seus filhos estava no local.

Eles arrastaram o patriarca para fora de sua casa. Sua esposa o agarrou, mas eles a espancaram até que foi obrigada a soltar seu marido., Os homens desapareceram na selva com Aadarsh preso.

Poucas horas depois, alguns aldeões encontraram o cadáver do homem, morto na montanha.

Aadarsh ​​era um pastor e se dedicou a resgatar vidas para Cristo, especialmente jovens. Ele amou Deus até o dia em que os naxalitas o mataram na montanha. Cristãos como ele se opõem a este grupo que recruta jovens.

O grupo é tão perigoso que nos últimos 10 anos, atacou, espancou, raptou, estuprou e assassinou milhares de cristãos na Índia.

A polícia não pôde ajudar e os aldeões, pois teve medo de intervir. Por isso, Chandan teve que fugir da aldeia com seus filhos. Uma semana depois, a equipe da Portas Abertas a encontrou e ofereceu um lugar para ficar, comida e roupas.

"Eu prefiro morrer em vez de abandonar meu Cristo", disse ela para os irmãos que a visitaram.

A pequena comunidade cristã que mora na região onde Chandan morava sofre grande opressão dos naxalitas e de outros grupos extremistas. Mais de 63 milhões de cristãos na Índia são perseguidos por sua fé.

veja também