Presa dupla que torturou e matou pastor

Presa dupla que torturou e matou pastor

Atualizado: Quinta-feira, 23 Dezembro de 2010 as 10:07

Dois acusados de amarrar, torturar e matar o pastor Davi Monteiro, 31 anos, na madrugada de 15 de agosto, no bairro Cajuru, em Curitiba (PR) foram presos anteontem por policiais da Delegacia de Homicídios.

Cleverson Padilha de Souza, 19 anos, e Jorge Luis Coutinho, 25, teriam praticado o crime, porque foram repreendidos pela vítima. Eles ainda agrediram a mulher do pastor e roubaram objetos da casa. Outro envolvido no latrocínio, conhecido pelo apelido de "Careca", não foi encontrado e suspeita-se que esteja morto.

Conforme foi apurado pela polícia, na véspera do crime, Cleverson entrou no quintal da casa do pastor com intenção de puxar um fio de luz para sua residência e fazer um "gato".

Porém, ele foi surpreendido por Davi, e deixou o local prometendo vingança. Na madrugada seguinte, Cleverson, Jorge e "Careca" bateram à porta da vítima e entraram se identificando como policiais que investigavam uma denúncia de tráfico de drogas.

Em seguida, passaram a agredir o pastor e sua mulher. O casal foi imobilizado e o trio vasculhou a casa e separou objetos de valor. De acordo com a polícia, antes de fugir os marginais torturaram Davi na frente da esposa, e "Careca" efetuou o disparo fatal na cabeça do homem.

Disfarce

Mesmo identificando rapidamente os autores do crime, a polícia teve muito trabalho para prendê-los. Os suspeitos fugiram do bairro e os investigadores precisaram se disfarçar de assistentes sociais para obter informações com a população. Quando o paradeiro foi descoberto, os mandados de prisão foram cumpridos. Cleverson e Jorge confessaram o crime e responderão por latrocínio.

As investigações continuam para apurar o que aconteceu com "Careca". "Recebemos informações que ele teria sido morto por outros marginais da região e pode ter sido enterrado como indigente, já que não tinha familiares", disse a delegada Camila Cecconello. Segundo a polícia, o rapaz usava dois nomes: Sidney Dias Ferreira e Cristian Fabio da Silva Leite.

Por Marcelo Vellinho

veja também