Pressão internacional pede liberdade de outro cristão afegão

Pressão internacional pede liberdade de outro cristão afegão

Atualizado: Sexta-feira, 25 Fevereiro de 2011 as 11:39

A libertação do cristão afegão Said Musa remete a situação de outro cristão afegão, Shoaib Assadullah, preso em outubro de 2010 sob a mesma acusação de apostasia que Musa enfrentou. Assadullah é um ex-muçulmano que foi preso por entregar uma Bíblia a um homem que o denunciou. Como noticiado pela agência de notícias Compass Direct News, ele continua detido na prisão Qashe Shani em Mazar-e-Sharif, no Afeganistão, um país hostil aos cristãos. Apesar de o governo ter intensificado a perseguição a ex-muçulmanos no último ano, Said Musa foi liberto após intensa pressão internacional. Em carta datada de 17 de fevereiro e escrita por ele mesmo, Assadullah diz que sua vida está em risco. O cristão não tem um representante legal e afirma que as autoridades tentam forjar uma falsa acusação de insanidade mental que justificaria a sua mudança de fé.

"Meu caso deveria ser enviado em breve ao tribunal, já que o procurador tem o direito de manter um caso apenas por 30 dias", Assadullah escreveu. "É muito provável que a decisão do tribunal seja a pena de morte para mim, pois o Ministério Público me acusou sob a Cláusula 139 do Código Penal que diz: ‘Se o crime não é citado no Código Penal, então o caso tem que ser submetido à Lei Sharia.’"

Sob a condição de anonimato, uma fonte informou que há um esforço diplomático para que haja a libertação de Assadullah.

O cristão ainda disse em sua carta que a liberdade é um presente de Deus.

"Isso significa que temos de respeitar a liberdade e a dignidade humana", escreveu. "O Artigo 24 da Constituição afegã diz: ‘A liberdade e a dignidade humana são direitos inalteráveis. O governo se compromete a respeitar e a proteger a liberdade e a dignidade humana.’”

veja também