Primeira Igreja Batista de Porto Velho completa 90 anos

Primeira Igreja Batista de Porto Velho completa 90 anos

Atualizado: Quinta-feira, 13 Outubro de 2011 as 9:04

Primeira Igreja Batista de Porto Velho comemora 90 anos no próximo  18 de outubro. Foi a segunda igreja a se instalar na cidade. A primeira foi a Católica. O pequeno  núcleo da denominação era composto por 10 membros – nordestinos, bolivianos e amazônidas. A iniciativa de instalá-lo foi do missionário sueco Eurico Alfredo Nélson, que no início do Século XX se deslocou para a Amazônia com o projeto de criar cavalos. Optou por cuidar da vida espiritual dos moradores da região e fundou núcleos da Igreja Batista em Terezina, Fortaleza, São Luis, Santarém, Belém, Manaus e, por último, Porto Velho e Guajará-Mirim.

Em 1921, Porto Velho era uma pequena cidade que se desenvolvia ao redor do pátio da administração da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. A ferrovia, com aproximadamente 350 quilômetros, servia de ligação com Guajará-Mirm, na fronteira do Brasil com a Bolívia, em terras das províncias do Amazonas e do Mato Grosso. Além deste, o único acesso ao município era o Rio Madeira.

O núcleo criado pelo missionário Nélson em Porto Velho ficou sob a responsabilidade do pastor Camilo Lelis de Souza. O templo ficava  na sub-esquina da rua Júlio de Castilho com a avenida Dom Pedro II, atrás do prédio do Colégio Dom Bosco, que posteriormente foi transferido do local.

Implantação

Uma das primeiras providências do pastor Camilo foi alfabetizar os fiéis, condição Missionário Eurico Nélson, o Apóstolo da Amazônia imprescindível para ler a Bíblia. Além da falta de escolas, a região era inóspita e o trabalho de evangelização exigia esforço redobrado. O missionário Eurico Nélson ficava sediado em Manaus, de onde cuidava dos núcleos das igrejas Batistas que havia fundado na região, que ele atravessava em penosas viagens de barco. Faleceu no dia 27 de dezembro de 1939, em Codajás, no interior do Amazonas, intoxicado com um peixe estragado. A esposa, Ida  Nélson, foi homenageada com o nome do Colégio Batista, em Manaus.

Em Porto Velho a sede definitiva da Primeira Igreja Batista foi instalada na esquina das avenidas Duque de Caxias com Presidente Dutra.  Em 1962, o pastor Wilson Pinto França Luz, juntamente com o obreiro Norman Johnson, funcionário da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, instalou uma olaria para produzir tijolos. Parte da produção foi utilizada na construção de um templo novo para a  igreja, o excedente era vendido para arrecadar dinheiro para a obra.

Evolução

A Primeira Igreja Batista conta atualmente com cerca de 300 membros e oito congregações – na Vila Tupi, bairro Mariana, assentamento Joana Darc, Nova Mutum, Joana Darc, Rio Pardo, Vista Alegre do Abunã e União Bandeirantes. Porto Velho conta com 18 núcleos da Batista e a Igreja também está presente no interior do Estado.

Filha de Norman e Elvira Johnson, a advogada Elóide Johnson, 67 anos, conta que praticamente foi criada dentro da Primeira Igreja Batista de Porto Velho. Ela separa o desenvolvimento da congregação em três fases. “A implantação, nas décadas d0e 1920 e 1930; a consolidação, de 1930 a 1950; e o período de expansão, a partir da década de 1960, com a chegada em Porto Velho do pastor Paul Bellington. Com recursos da organização missionária Junta de Richmond, pastor Paulo, como era conhecido junto aos fiéis, contava com barco, caminhão, bicicleta e pickups para se aventurar até as pequenas comunidades que viviam dentro da mata. Só em 1960 Porto Velho passou a ter acesso por terra, com a construção da BR-29, hoje chamada de BR-364”.

Expansão

A partir da década de 1970, ao toque de uma campanha patrocinada pelo Governo Federal para povoar o então Território Federal de Rondônia, um grande número de migrantes de todas as regiões brasileiras se deslocou para Rondônia, que conquistou  a condição de Estado no final de 1981. O número de municípios pulou de dois para 52.  “A Igreja Batista acompanhou a explosão populacional da região e no final do Século XX contava com um grande número de novos membros e novas congregações”, informa Elóide Johnson.

Ela lembra com carinho do trabalho árduo dos primeiros irmãos batistas que chegaram na Amazônia “para trazer a mensagem do Evangelho para uma população que viviia em uma região longínqua, carente de quase tudo”.

Primeiros membros e pastores.

O primeiro núcleo da Igreja Batista de Porto Velho era formado por 10 membros: Francisco Félix de Souza, Domingos Marques, Jeremias José Pereira, Pedro Leandro Hora, Maria da Cruz, João Ribeiro Dória, Domingos Almeida, Maria Cândida e Ludovil Antônio Cavarro.

Foram responsáveis pela Primeira Igreja Batista de Porto Velho os  seguintes pastores: Camilo Lélis de Souza, Custódio de Oliveira, Júlio Braga, Enoque Medrado, Antônio Loureiro Beloto, Wilson Pinto França, Cosmo Gomes de Souza, Tarcísio de Souza Medeiros, Paul Bellington, Carlos de Deus Serrano, João Correia da Rocha, Feliciano do Amaral, Joel Dias de Freitas, José Evandro Domingues e Shirleyton Gonçalves do Nascimento.

veja também