Professora converte-se após cinco anos de atuação em escola

Professora converte-se após cinco anos de atuação em escola

Atualizado: Segunda-feira, 7 Fevereiro de 2011 as 1:32

Há 15 anos, Alessandra Macanhão mudou-se de Foz do Iguaçu, PR, sua cidade natal, para o Estado do Tocantins, onde finalmente firmaria residência no município de Gurupi. Certa de que o magistério era a profissão dos seus sonhos, começou a lecionar em algumas escolas da cidade e logo foi contratada pela Escola Adventista de Gurupi, onde lecionaria nas disciplinas de Inglês, Artes e Regência.

Quando Alessandra já estava há dois anos na escola, o diretor da instituição teve que ser transferido e ela nem imaginava que essa mudança provocaria uma profunda transformação em sua vida. Após conquistar a amizade e a confiança da professora, o novo diretor e a esposa dele se ofereceram para estudar a Bíblia com Alessandra. E foi aí que tudo começou. “Eu era rebelde, usava piercing, muitas joias e roupas extravagantes, mas devido as conversas que tinha com o professor Jônatas e a Daiana, aos poucos fui percebendo que precisava tomar uma atitude e mudar de vida”, relembra Alessandra.

À medida que a professora avançava nos estudos da Bíblia, suas convicções sobre os mistérios, doutrinas e compaixão acerca da divindade se fortaleciam e ela percebeu que havia chegada a hora de tomar uma atitude. Com a decisão amadurecida, Alessandra finalmente foi batizada ontem (7), durante um culto especial em uma das igrejas adventistas de Palmas com o apoio e presença de todos os coordenadores, diretores, orientadores e professores da rede escolar adventista no Tocantins.

“Antes de me batizar já sentia vontade de falar do amor de Jesus para os meus alunos e agora nada mais me impedirá”, promete Alessandra.

"Essa decisão da Alessandra de tornar pública sua aceitação pelos ensinos de Jesus Cristo reforça em nós a convicção de que a educação adventista desepenha uma função redentora na vida de nossos alunos e professores", analisa o diretor da Escola Adventista de Gurupi, Jônatas Nunes. "Eu e minha esposa nos sentimos privilegiados por Deus ter nos usados para transmitirmos sua vontade para a Alessandra e por termos nos tornados seus amigos", conclui.  

veja também