Professora de história, Roseli é acusada de ministrar a palavra de Deus em aula

Professora evangélica é acusada de bullying em escola

Atualizado: Quarta-feira, 28 Março de 2012 as 9:41

A professora de História Roseli Tadeu Tavares de Santana faz um ritual antes de começar cada aula que leciona na Escola Estadual Antonio Caputo, no Riacho Grande, em São Bernardo: tira uma Bíblia e faz 20 minutos de pregação evangélica aos alunos.

Em virtude disso, um adolescente de 15 anos afirma ser vítima de bullying e intolerância religiosa já que é praticante de candomblé e não queria participar das pregações da professora. O adolescente, que no ano passado começou a ter aulas com ela, ficava constrangido com as pregações.

Seu pai, o aposentado Sebastião da Silveira, 64 anos, sacerdote de cultos afros, afirma que os ataque começaram com uma bola de papel. " Primeiro, uma bola de papel lhe atingiu as costas. Depois, ofensas graves aos pais, que resolveram agir. "Ficamos abalados", disse Silveira. "A própria escola não deu garantias de que meu filho terá segurança" disse ao jornal Diário do Grande ABC.

A Secretaria Estadual da Educação promete que a Diretoria de Ensino de São Bernardo irá apurar a história e reconhece que pregar religião é proibido pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

veja também