Projeto Siga a Bíblia motiva discurso no plenário da Câmara Federal

Projeto Siga a Bíblia motiva discurso no plenário da Câmara Federal

Atualizado: Quinta-feira, 8 Outubro de 2009 as 12

Por pouco mais de três minutos, pelo menos um discurso proferido no plenário da Câmara Federal não foi sobre denúncias de corrupção, problemas sociais, financeiros ou estruturais do País. No final da tarde da quarta-feira, dia 7 de outubro, o assunto foi a Bíblia Sagrada. O deputado federal adventista, Charles Lucena (PTB-PE), ocupou a tribuna para destacar a passagem do exemplar mundial do projeto Siga a Bíblia, que movimentou a capital federal.

Lucena afirmou, em seu discurso, que "o livro sagrado de Deus tem sido a bússola para muitos que querem viver segundo a sua luz. Homens de todos os tempos sentiram a presença de Deus quando, através da sua leitura, buscaram solução dos seus problemas". Enquanto falava, o deputado tinha a sua frente o exemplar histórico e único com a escrita dos livros em 66 idiomas diferentes.

Um pouco antes, o presidente do Legislativo Federal, deputado Michel Temer, já havia conhecido a Bíblia mundial que estava exposta em um dos saguões do parlamento brasileiro. Temer elogiou os adventistas pelo favor que prestam ao difundir os ensinamentos bíblicos. A curiosidade de funcionários, visitantes e jornalistas que passavam em frente ao "estande" do Siga a Bíblia, dentro da Câmara, fez com que muitos não hesitassem em ser fotografados ao lado do livro mais conhecido do mundo. E que fez Brasília pensar, pelo menos por um dia, em algo diferente de projetos, votações e escândalos.

Por pouco mais de três minutos, pelo menos um discurso proferido no plenário da Câmara Federal não foi sobre denúncias de corrupção, problemas sociais, financeiros ou estruturais do País. No final da tarde da quarta-feira, dia 7 de outubro, o assunto foi a Bíblia Sagrada. O deputado federal adventista, Charles Lucena (PTB-PE), ocupou a tribuna para destacar a passagem do exemplar mundial do projeto Siga a Bíblia, que movimentou a capital federal.

Lucena afirmou, em seu discurso, que "o livro sagrado de Deus tem sido a bússola para muitos que querem viver segundo a sua luz. Homens de todos os tempos sentiram a presença de Deus quando, através da sua leitura, buscaram solução dos seus problemas". Enquanto falava, o deputado tinha a sua frente o exemplar histórico e único com a escrita dos livros em 66 idiomas diferentes.

Um pouco antes, o presidente do Legislativo Federal, deputado Michel Temer, já havia conhecido a Bíblia mundial que estava exposta em um dos saguões do parlamento brasileiro. Temer elogiou os adventistas pelo favor que prestam ao difundir os ensinamentos bíblicos. A curiosidade de funcionários, visitantes e jornalistas que passavam em frente ao "estande" do Siga a Bíblia, dentro da Câmara, fez com que muitos não hesitassem em ser fotografados ao lado do livro mais conhecido do mundo. E que fez Brasília pensar, pelo menos por um dia, em algo diferente de projetos, votações e escândalos.

veja também