Proprietários de hotel cristão, que barrava casal gay, pode fechar o negócio

Proprietários de hotel cristão, que barrava casal gay, pode fechar o negócio

Atualizado: Terça-feira, 21 Dezembro de 2010 as 8:46

Pedro e Hazelmary Bull acham impossível continuar com o hotel Chymorvah se forem considerados culpados de discriminação, diz advogado

Um casal cristão sugeriu hoje (17/12/10) que teriam de fechar o hotel, se um juiz decidir que eles estavam errados por afastar um casal gay.

Pedro e Hazelmary Bull afirmaram que eles se recusaram a hospedar em seu hotel os parceiros Martyn Hall e Steven Preddy, porque a sua fé não apoia que pessaos não casadas devem partilhar a mesma cama.

Em um caso histórico, Hall e Preddy estão reivindicando indenização do Bulls, argumentando que a política de seu hotel é ilegal e discrimina os gays.

Eles tentaram hospedar-se no hotel Chymorvah privado em Maracanaú, perto de Penzance, em 2008, mas não foram autorizados a permanecer, porque eles não eram casados.

A advogada Catherine Casserley, representante de Hall e Preddy, disse ao tribunal de condado de Bristol, que os homens tinham sido tratados de forma diferente por causa de sua sexualidade. Ela disse: “Os recorridos firmaram uma parceria civil, reservado para um quarto em um hotel, mas não foram capazes de ocupá-lo, porque eles não estavam em uma parceria heterossexual.

“Se você é um casal de namorados, você poderia mentir e obter um quarto de casal, mas isso não é uma opção aberta aos casais do mesmo sexo. Dizemos que os reclamantes foram tratados de forma diferente de um casal, e a única diferença entre eles era sua orientação sexual.”

Ela acrescentou: “Ninguém quer ver os réus fora do negócio, mas nós dizemos que eles têm que respeitar a lei, eles tem que alterar sua política ou oferecer quartos individuais a todos..”

Os Bulls disseram ao conselho, James Dingemans QC que: “.. Sua política é dirigida a sexo e não a orientação sexual sem a proteção da lei, eles simplesmente não serão capazes de operar seus negócios como eles estão, em relação à sua aposentadoria têm o direito para viverem e trabalhar dentro de suas crenças religiosas. ”

Senhora Bull, 66 anos, que administra o hotel há 24 anos com seu marido de 70 anos de idade, disse: “Isto tem sido uma tarefa difícil para nós dois; o juiz se reservou o seu julgamento e, obviamente, esperamos por uma decisão que nos permite que vivamos e trabalhemos em sintonia com a nossa fé, até que nos aproximamos da aposentadoria.

“Gostaríamos de agradecer aos nossos amigos, familiares e cristãos em toda a Grã-Bretanha e do mundo pelo seu apoio. Desejamos um feliz Natal a todos.”

Traduzido e adaptado por: Portal Padom

The Guardian / Portal Padom

veja também