PT baiano reúne evangélicos para pedir voto à candidata Dilma

PT baiano reúne evangélicos para pedir voto à candidata Dilma

Atualizado: Sexta-feira, 22 Outubro de 2010 as 2:46

A coordenação de campanha da petista Dilma Roussef na Bahia reuniu cerca de 300 representantes evangélicos na noite desta quinta-feira, 21, no Hotel Fiesta, em Salvador (BA), com o objetivo de rebater os ataques tucanos de que a candidata seria favorável ao aborto.

É mais uma ação do PT baiano para conquistar o eleitorado evangélico, segmento no qual Dilma perdeu votos no final do primeiro turno após as polêmicas com a questão do aborto, levantada por seus adversários. A ideia é que as lideranças religiosas propaguem o voto pró-Dilma aos seus fiéis.

O evento foi conduzido pelo senador eleito Walter Pinheiro (PT), que é batista. Outros políticos com ligação religiosa estavam presentes, como o senador capixaba Magno Malta (PR) e o deputado federal Márcio Marinho (PRB). O governador Jaques Wagner (PT), que é judeu, não compareceu ao evento, embora tivesse sido anunciado que ele iria.

Pinheiro traçou um paralelo com a campanha de 2002. "Nós ouvíamos que não iriam votar em um homem do tipo de Lula, porque ele era o satanás, Lula era o demônio", afirmou, para depois completar: "E foi ele que, em 2003, sancionou a lei 10.825, que estabelece a liberdade de culto no Brasil. Agora eles repetem as mesmas coisas".

O prefeito de Salvador, João Henrique (PMDB), outro evangélico, também estava presente. O peemedebista tem mostrado engajamento com a campanha de Dilma no segundo turno, embora seu correligionário Geddel Vieira Lima (PMDB) houvesse reclamado no primeiro turno que João pouco participou de sua campanha ao governo baiano. Geddel foi o terceiro colocado. Amanhã, o prefeito de Salvador irá a Belo Horizonte participar de um encontro de prefeitos que apóiam a petista.

Márcio Marinho, que é ligado à Igreja Universal, ressaltou, em entrevista, que a entrada do aborto foi "um ato rasteiro para prejudicar a candidatura, uma vez que nós sabemos que existem temas que não são de competência do presidente da República, mas sim do Congresso Nacional".

O senador Magno Malta tem participado de eventos semelhantes em diversas cidades brasileiras e afirmou que veio à Bahia para "dessatanizar" a candidata petista. "Na primeira eleição de Lula, tive a missão de dessatanizar o Lula. Minha mulher nem queria que eu viajasse dessa vez, mas o presidente me ligou e pediu que eu fizesse isso novamente", afirmou.

Na plateia, aplausos e ovações sempre que palavras de maior religiosidade eram misturadas às pregações políticas. Pinheiro, por exemplo, mostrou bastante desenvoltura percorrendo as duas temáticas e unindo-as para pedir voto à petista.

veja também