PT e PSDB buscam votos de Marina

PT e PSDB buscam votos de Marina

Atualizado: Quinta-feira, 28 Outubro de 2010 as 8:01

A quatro dias do segundo turno da eleição presidencial, PT e PSDB travam uma "guerra" de bastidores para buscar os votos da candidata Marina Silva (PV) nas regiões de Bauru, Jaú, Botucatu e Lins calculado em 147.525 na soma de 48 cidades. O PSDB tem reunido prefeitos e o PT colocou a militância em bairros populares e portas de fábricas para convencer o voto em sua candidata.

A busca de apoio do PV também tem intensificado. Lideranças ligadas ao PV de Botucatu participam hoje de um encontro para anunciar o apoio a José Serra (PSDB).

Embora a direção nacional dos PV se declare neutra na disputa, as lideranças locais estão liberadas para apoio pessoal. Bocaina e Jaú já aderiram à campanha tucana, mas a prefeita de Pederneiras, Ivana Camarinha (PV), lidera a resistência e faz campanha para a candidata petista.

Ela, inclusive, esteve no primeiro debate da eleição presidencial no segundo turno na TV Bandeirantes, onde tirou uma foto ao lado de Dilma.

O PT de Botucatu faz hoje uma panfletagem com caminhão de som que está percorrendo a região.

No primeiro turno, Serra foi o mais votado com 314.562 votos na soma dos 48 municípios da região, enquanto a candidata que terminou a eleição nacional na frente vem em segundo com 240.996, uma quantidade nada desprezível. As lideranças regionais estão de olho na votação de Marina Silva, de 147.525, para conquistar esses votos. Ela foi a segunda mais votada em Botucatu com 30,5% votos.

Nas regiões de Avaré e Ourinhos, próximas a Bauru, também Serra foi o mais votado, mas há redutos "vermelhos": Iaras os candidatos a governador e a presidente do PT bateram o PSDB. Dilma obteve 53,7% contra 34,7% de Serra. A explicação para a diferença é a existência de assentamentos do Movimento Rural dos Trabalhadores Sem Terra (MST), inimigo declarado dos tucanos. Outra surpresa foi Espírito Santo do Turvo, embora administrada por um prefeito do PSDB, Dilma foi a mais votada na cidade.

Para petista, voto de Marina deve diluir

O presidente do diretório municipal do PT de Botucatu, Carlos Ramos, acredita que o voto a Marina da Silva do primeiro turno não vai migrar somente para um candidato no segundo turno, mesmo com mais apoio das lideranças regionais e estaduais a Serra.

"O prefeito de Botucatu (João Cury) está desgastado, não acredito que isso tenha influência na eleição a presidente. Pelo que sentimos nas ruas, ele não está bem avaliado, isso ocorre em outras cidades", afirma.

O petista não acredita que a diferença de votos entre Serra e Dilma seja maior no domingo do que no primeiro turno. "Esses votos (da Marina) estão soltos, mas vão diluir. Já mapeamos a cidade e estamos priorizando onde a Dilma não foi bem votada e a região onde Marina foi bem votada", disse Ramos. Na periferia, segundo dados do PT, houve divisão nos votos do PT e PSDB. Já no bairro de classe média, Jardim Paraíso, Marina foi a mais votada. Na somatória geral no município, Marina chegou em segundo com 30,50% dos votos. Na área central de Botucatu predominou o voto em Serra.

Os petistas contam hoje com um caminhão de som para fazer uma ampla campanha pelo município. O veículo vem de Avaré, mas estará também em Barra Bonita e Jaú.

No sábado, os petistas reuniram as lideranças políticas da região ligadas ao PMDB e PRB para articular o apoio no segundo turno.

Outra novidade é a "banquinha da Dilma" instalada no Bosque com material de campanha e panfletagem.

Número de abstenção foi alto no primeiro turno

Os eleitores alistados que não compareceram para votar no primeiro turno da eleição foi alta. Na soma das sete principais cidades há 80 mil pessoas na lista de abstenção. Com o feriado prolongado, há uma preocupação que esse número possa aumentar no próximo domingo. No pleito de 3 de outubro, em Bauru não compareceram 41.017 (16,84%), Botucatu 15.653 (17,66%), Jaú 14.542 (15,59%), Lins 11.183 (20,85%), Lençóis Paulista 6.705 (15,2%), Pederneiras 5.170 (17,15%) e Agudos 4.900 (17,7%).

Numa pesquisa feita pelo JC em toda a região, em Águas de Santa Bárbara a abstenção chegou a 25,14%, índice muito alto.

Por Aurélio Alonso

veja também