Recompensa - Coluna Erasmo Miranda

Recompensa - Coluna Erasmo Miranda

Atualizado: Sexta-feira, 3 Abril de 2009 as 12

"Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, Ele mesmo te recompensará publicamente. E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão" (Mateus 6:1-5).

Leia: (Lucas 17, Filipenses 4, 2ª Timóteo, Hebreus 11 e 1ª Pedro 5).

Como temos sido ensinados pela Palavra, obedecer a Deus, muitas vezes implica em estar em desacordo com o mundo, porque aqui somos forasteiros, ou pelo menos deveríamos nos comportar como tal. Sendo assim, não se pode esperar reconhecimento daquele que nele vive, como se aqui fosse sua pátria permanente. Visto que, em Cristo Jesus, herdamos uma nova natureza, pela qual nos tornamos novas criaturas, cidadãos dos céus e como tais devemos ser reconhecidos como filhos de Deus, que trilham no caminho preparado pelo próprio Pai. "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas" (Efésios 2:10). Portanto, praticar boas obras, está dentro da normalidade daqueles que são filhos de Deus.

Porque então esperar recompensa por aquilo que devemos fazer?

"Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer" (Lucas 17:10).

Mesmo sabendo que fomos chamados para as boas obras, não devemos praticá-las esperando algo em troca, nem tão pouco por obrigação, mas sim por amor, pois o Pai abençoa a quem dá com alegria. A expressão desta verdade só se faz possível para aqueles que manifestam em si o Fruto do Espírito, que recebemos da parte do Pai, por intermédio de Jesus Cristo, através do Espírito Santo: "E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" (Lucas 11:11-13).

Temos que nos esforçar para que não sejamos envolvidos pela glória deste mundo, não tomando parte com as obras infrutuosas da carne, para não sermos enganados pelas artimanhas do maligno. Satanás caiu por causa do orgulho, e por ele, tenta enredar a muitos (Ezequiel 28:13-17).

Amados irmãos e amigos, levemos a sério o conselho do apóstolo Pedro: "Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar" (1ª Pedro 5:8). Tomemos o devido cuidado para não sermos enredados pela rede do orgulho, buscando a glória deste mundo, em detrimento da glória do Reino de Deus. Tenhamos como exemplo aqueles que viveram e ainda vivem neste mundo, aguardando ansiosamente a recompensa que virá da própria mão de Deus, seja ela para o tempo "presente" ou para o "vindouro". Sabendo que a maior recompensa é o privilégio de vivermos pelo nome de JESUS, carregando em nós as Suas aflições. "Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa" (Hebreus 11:26); "Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada" (Romanos 8:18). Desta forma, não nos dobraremos aos brilhos deste mundo, visto que, fortalecidos por Cristo, através do Espírito Santo de Deus, nos é dado a capacidade de vivermos dignamente, tanto em dias de bonança, como em dias de tribulações, porque: "Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra" (2ª Timóteo 2:4).

Pense: "Posso todas as coisas em Cristo que me fortalece" (Filipenses 4:13).

Ore: SENHOR, trata com a minha vida, permitindo que eu perceba que não sou nada sem a Tua presença, para que desta forma não seja eu enganado por satanás, quando ele bater a minha porta, oferecendo-me coisas para satisfação do meu ego. Porque eu sei SENHOR, que o que Tu tens reservado para o Teu povo muito excede em valor qualquer coisa que venhamos a conquistar neste mundo. Que eu possa perseverar nas Tuas promessas, hoje e para todo o sempre, no poder do Espírito Santo, para glória de Deus Pai, no nome precioso de Jesus; Amém.

Erasmo Miranda de Araújo é presbítero e trabalha nos ministérios de Ação Social e Ensino.

Contato:

http://www.portalestilo.com.br/madruga   

[email protected]

veja também