Reforma Protestante completa 491 anos

Reforma Protestante completa 491 anos

Atualizado: Segunda-feira, 3 Novembro de 2008 as 12

Reforma Protestante completa 491 anos

Em 31 de outubro de 1517 o monge agostiniano e professor de teologia Martinho Lutero afixou à porta da igreja de Wittenberg, na Alemanha, as 95 Teses, convidando a comunidade acadêmica local para um debate público sobre a venda de indulgências e outras questões. Estava instaurada a Reforma Protestante, que completa hoje, 31 de outubro de 2008, 491 anos.

O início

Às vesperas da Reforma, a sociedade européia vivia um período de muita violência, baixa expectativa de vida, contrastes socioeconômicos e um crescente sentimento nacionalista. Havia também muita insatisfação, tanto dos governantes como do povo, em relação à Igreja, principalmente ao alto clero e à Roma. Na área espiritual, havia insegurança e ansiedade acerca da salvação, que estava baseada em obras, a religiosidade contábil ou "matemática da salvação" (débitos = pecados; créditos = boas obras).

Casamento

O primeiro reformador foi um grande defensor da dignidade da mulher e da importância do casamento e do lar, tendo escrito amplamente sobre o assunto. Em "A Vida Conjugal" (1522), Lutero afirma que Deus ordenou que os homens e as mulheres fossem impelidos por sua própria natureza para serem frutíferos e se multiplicarem. As pessoas deveriam então casar-se para não caírem em impureza, fornicação e adultério. Aqueles que se sentiam inaptos para uma vida de celibato - o que incluía quase todos - deviam casar-se certos de que isso estava de acordo com a vontade de Deus.

Por muito tempo, a literatura antiprotestante afirmou que Lutero havia rompido com Roma para poder se casar. O fato é que isso só ocorreu vários anos depois do início da Reforma, no dia 13 de junho de 1525, quando ele se uniu à ex-freira Catarina de Bora. Comentando o fato, o reformador assim se expressou: "Repentinamente, inesperadamente, e enquanto a minha mente estava voltada para outras questões, o Senhor me prendeu com o jugo do casamento [...] Mal posso acreditar, mas as testemunhas são muito fortes".

O legado

Apesar dos fatores políticos, sociais e econômicos envolvidos na Reforma, o seu propósito central veio da profunda experiência de líderes como Lutero e Calvino. A visão da graça e da glória de Deus, mediada pela bíblia, levaram-os a colocar Deus no centro de suas vidas e a rejeitar tudo aquilo que pudesse obscurecer a sua majestade como Senhor do universo, da vida e da redenção.

É necessário considerar também o entendimento dos reformadores a respeito da Igreja, como uma comunidade de adoração, comunhão e serviço. Para eles, a Igreja não deveria representar uma instituição, mas um conjunto pessoas fiéis que se reúnem para exaltar a Deus, estudar a sua Palavra, celebrar a sua salvação, e depois se dispersam para testemunhar e servir.

Os reformadores nos inspiram em seu entendimento da sociedade. Os líderes da Reforma e seus seguidores insistiram no fato de que toda a vida pertence a Deus e deve refletir a sua soberania. Com seu trabalho e exemplo, o cristão deve esforçar-se para que os valores do Reino estejam inseridos em todas as esferas da sociedade.

"Que sejam essas as nossas preocupações ao lembrarmos novamente os eventos e personagens dos quais somos herdeiros".

veja também