Religião e Política, sim; Igreja e Estado, não

Religião e Política, sim; Igreja e Estado, não

Atualizado: Sexta-feira, 28 Janeiro de 2011 as 10:44

A visão cristã do Estado é que o Estado não deve ser "cristão". O papel do Estado não é defender ou promover uma determinada igreja ou religião. Entretanto, dizer que a religião nada tem a ver com a ação política é lógica e historicamente falso. Religião e política podem, sim, ser misturadas.

Em um momento como o que vivemos hoje é muito fácil perder a esperança, cair no desânimo ou aderir ao cinismo. No entanto, as verdades bíblicas e o propósito ético dos novos céus e da nova terra, "onde habita a justiça", nos inspiram naquilo que devemos fazer hoje. A fé cristã é, ao mesmo tempo, utópica e bastante realista. O sonho permanece; os seus portadores é que mudam.

"Se alguém me pergunta se confio em algum político evangélico, respondo que não. Aliás, biblicamente, não devemos confiar nos príncipes, mesmo que sejam evangélicos e tenhamos ajudado a colocá-los no poder. É por termos um ensino superficial do pecado que nos damos mal politicamente e criamos ídolos".

FICHA TÉCNICA

Páginas 200 ISBN 85-86539-94-5 Formato 14x21 Assunto Ética / Comportamento, Liderança, Vida Cristã Ano 2006 Código 41.01 Preço 29,50

veja também