Religiosas participam de capacitação contra tráfico de pessoas

Religiosas participam de capacitação contra tráfico de pessoas

Atualizado: Quinta-feira, 21 Outubro de 2010 as 10:17

O tráfico de pessoas ainda é uma realidade em nosso país! A Rede Um Grito pela Vida promoveu em Salvador (BA) entre os dias 14 a 17 de outubro o encontro de religiosas da Rede que capacitou 27 pessoas das regiões Norte e Nordeste do país, para atuarem na prevenção ao tráfico de seres humanos. Segundo Gabriella Bottani, integrante da articulação brasileira da Rede Um Grito pela Vida, o evento teve um resultado bastante positivo com a representatividade dos estados de Rondônia e Pará, na região Norte, e Bahia, Pernambuco, Alagoas, Ceará e Maranhão, na região Nordeste.

Gabriella afirmou ainda que a região Norte é a que mais preocupa por ser a que mais apresenta uma preocupação quanto ao tráfico de pessoas, assim, segundo ela "as agentes multiplicadoras poderão ainda, ao realizarem o trabalho educativo, minimizar a dificuldade de comunicação existente na região".

A ideia principal é que essas agentes formem núcleos em suas diversas áreas de atuação, e assim, poderem alcançar diferentes comunidades que serão prevenidas e alertadas quanto aos perigos do tráfico de seres humanos. "É preciso ter uma presença capilar, ou seja, estar presente em diferentes lugares, para conscientizar o máximo de pessoas possível", afirmou. O próximo encontro está previsto para 2011 em Foz do Iguaçu, no Paraná, que deve fortalecer e ampliar ainda mais a atuação da Rede Um Grito pela Vida. "As pessoas estão percebendo como é importante o trabalho da vida religiosa, e estamos abrindo espaço também para os leigos participarem", disse.

A Rede Um Grito pela Vida está vinculada à Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e atua na prevenção ao Tráfico de Seres Humanos com trabalhos de sensibilização e conscientização, sobretudo, junto às comunidades e público mais propensos a serem vítimas deste crime organizado. Apesar do caráter religioso, a Rede está aberta para participação de leigos e leigas, que estejam interessados (as) em contribuir com este trabalho preventivo.

Para entrar em contato com a Rede: [email protected]

Com informações da ADITAL

veja também