Réu usava camisa de uma banda gospel em terceiro dia de julgamento

"Deus está me dando força", afirmou Lindemberg ao juiz

Atualizado: Quinta-feira, 16 Fevereiro de 2012 as 11:37

Após três anos e quatro meses de espera, Lindemberg Alves Fernandes cumpriu o prometido por sua defesa e ontem, no terceiro dia de seu julgamento no Fórum de Santo André, falou pela primeira vez sua versão para o homicídio de Eloá Pimentel, em outubro de 2008. A morte da ex-namorada foi o único momento em que ele mostrou alguma reação durante a fala. "Sem pensar, eu atirei", confessou, após pequena pausa.

Lindemberg falou por cerca de cinco horas. Deu sua versão sobre o ocorrido em detalhes. E, por mais uma vez, pediu perdão aos parentes de Eloá, principalmente à ex-sogra Ana Cristina Pimentel, a quem se referia como Tina. Para ele, se há alguma vítima no trágico desfecho do caso são os parentes. "Causei grande dor a eles. Estoupagando por algo que fiz. Tenho forte ligação com eles."

Antes de ser preso, Lindemberg era um jovem de periferia que trabalhava, gostava de praticar esportes, curtia baladas e namorava. Encarcerado, o rapaz /CL/CP/IPainda mantém alguns hábitos antigos.


O réu relatou como é o cotidiano dentro da penitenciária onde vive há três anos e quatro meses. "Acordo às 5h, tomo café e vou trabalhar. Tem o banho de sol dia sim, outro não", disse ao júri.
O futebol, que lhe rendeu o apelido de Liso por conta dos dribles e habilidade, só é liberado aos fins de semana. Lindemberg afirmou que, antes, jogava bola três vezes por semana nos campos do Jardim Santo André.


Sobre alimentação, o réu disse receber cardápio padrão com arroz, feijão e mistura variada. "Às vezes tem carne."


Declarando estar arrependido dos erros que cometeu, Lindemberg disse se apoiar na fé nos dias que tem passado dentro da prisão. "Deus está me dando força", afirmou o réu, que, ontem, usava camisa de uma banda gospel. Ele ainda relatou que estuda a Bíblia na penitenciária.

 

Com informações do Diário ABC

 

veja também