Revendedores de carros dos EUA estão otimistas, mas 'entregam o futuro a Deus'

Vendedores americanos 'entregam o futuro a Deus'

Atualizado: Quarta-feira, 15 Fevereiro de 2012 as 11:28

Bill Underrines, presidente eleito da NADA, a associação dos revendedores de veículos dos Estados Unidos, apresentou um quadro pra lá de otimista do mercado americano, durante o Congresso da entidade em Las Vegas. O dirigente disse que 2011 não foi tão bom “por culpa da natureza”, que provocou desastres naturais atrapalhando o fornecimento de peças.


O dirigente referia-se primeiramente ao tsunami e aos terremotos no Japão, que afetaram não apenas as fábricas das marcas estadunidenses, mas também as alemãs, coreanas, além das próprias japonesas, e provocaram uma queda de vendas no inverno – de maio a agosto – período em que o mercado é mais forte.


- Havia uma grande procura e não tinha carro pra vender, nem importado, nem nacional, porque faltavam peças eletrônicas importadas do Japão.


No segundo semestre, segundo ele, a culpa pela queda de vendas foi das inundações na Tailândia e Indonésia, grandes fornecedores de equipamentos eletrônicos para a indústria americana. Já nos últimos meses do ano o mercado explodiu, fechando o ano com crescimento de 12,8%.


Para 2012 a estimativa é vender 13,9 milhões de unidades, 500 mil carros a mais do que no ano passado, “se não houver nenhum desastre natural”, ressalvou Bill Underrines, como que entregando a futuro da indústria “a Deus”.


A propósito, se depender dos revendedores, Deus terá papel importante na sorte do setor. Além da angelical interpretação de “Deus Salve a América”, feita por uma adolescente na abertura do Congresso, um pastor da igreja protestante, no palco, fez um serão pedindo ao Divino crescimento das vendas e a proteção aos vendedores de veículos.

veja também