"Sabia que Deus me daria a vitória? diz tia de bebê sequestrado no RJ

"Sabia que Deus me daria a vitória? diz tia de bebê sequestrado no RJ

Atualizado: Quinta-feira, 8 Dezembro de 2011 as 9:10

Em depoimento, ontem, na 71ª DP (Itaboraí), a tia do bebê Pedro Henrique, Gleice Kelly da Silva Moreira, 22, mudou a versão do depoimento prestado na segunda-feira. No depoimento inicial, Gleice havia dito que a suposta sequestradora Cláudia Ferreira Dantas de Oliveira, 35 anos, teria raptado o recém-nascido após agredí-la. Cláudia, contudo, disse que a mulher lhe deu o bebê alegando que a família não tinha condições financeiras de criar o menor.

Em novo depoimento, Gleice disse que a suposta sequestradora se ofereceu para pagar um almoço e remédios. Na nova versão, a tia do menino teria, então, entrado numa farmácia para ver o preço de um medicamento, quando Cláudia fugiu com a criança. Ela afirmou, ainda, que inventou a agressão temendo represália da família, já que teria deixado o bebê nas mãos de uma desconhecida.

Sequestrado em Alcântara, o menino Pedro Henrique foi encontrado na segunda-feira, por policiais do Serviço de Inteligência (P-2) do 35º BPM (Itaboraí), na casa da suposta sequestradora, Cláudia Ferreira, em Marambaia. O bebê estava no colo do marido de Cláudia, o pedreiro José Dailson Rodrigues da Silva, 39, que desconhecia o sequetro. Cláudia foi presa em flagrante e levada para 71ª DP (Itaboraí), onde foi autuada por sequestro. Ela foi transferida para a Polinter do Grajaú, na zona norte do Rio.

“Eu perdoo a mulher que roubou meu filho. Não guardo rancor porque sei que ela o tratou bem. Foram os cinco piores dias da minha vida, mas tinha certeza que iria reencontrá-lo. Sou evangélica e sabia que Deus me daria a vitória”, disse, emocionada, a dona de casa Jéssica Cristina da Silva, 20 anos, após reencontrar o filho Pedro Henrique, na última segunda-feira.

Recordando - Pedro Henrique nasceu no último dia 17, com 3,3 kg, no Hospital Estadual Azevedo Lima, em Niterói. Filho de um carpinteiro e da dona de casa Jéssica Cristina, o menino passava bem. Enquanto a mãe permanecia de resguardo, a tia do bebê, Gleice Kelly, se ofereceu para levá-lo ao posto de saúde, na manhã do dia 30 de novembro, para tomar vacinas e fazer o teste do pezinho.

Após tomar conhecimento de que teria que retornar outro dia ao posto, a tia preparou a mamadeira, trocou a fralda do bebê e pegou o ônibus de volta para Alcântara. A suposta sequestradora embarcou no mesmo ônibus, sentou ao lado dela e desceu no ponto final, sob o viaduto de Alcântara.

Como o bebê começou a chorar, Gleice disse que sentou num canteiro de plantas, em frente ao hipermercado Extra, para dar nova mamadeira à criança. A suposta sequestradora reapareceu e novamente elogiou Pedro Henrique. Gleice se distraiu e, pouco depois, recebeu um golpe na cabeça, ficou tonta, caiu e não viu o bebê ser levado.O sequestro foi registrado na 74ª DP ( Alcântara).      Com informações do 'São Gonçalo

veja também