Sangue pela Nicarágua

Sangue pela Nicarágua

Atualizado: Terça-feira, 31 Agosto de 2010 as 10:09

Além do trabalho evangelístico em todos os continentes, a Igreja Universal realiza o trabalho social que também já é reconhecido em vários países. Este ano, a IURD foi premiada pelo Ministério da Saúde da Nicarágua e pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) por promover a doação de sangue. Este país foi escolhido pela OPAS como o anfitrião do “Dia do Doador de Sangue” na América Latina e no Caribe, em reconhecimento ao avanço desta ação no país.

Pastores e bispos responsáveis pelo trabalho evangelístico da IURD em todas as regiões incentivam o voluntariado, principalmente para atender vítimas de tragédias naturais como enchentes e terremotos. No Haiti, por exemplo, a Igreja aconselhou que voluntários procurassem a Cruz Vermelha do seu país para fazer as doações.

No continente africano são realizados trabalhos de conscientização sobre riscos de contaminação pelo vírus HIV, além da distribuição de camisinhas e atendimento aos órfãos que perderam seus pais, vítimas da Aids.

Na América do Sul, só este ano, a IURD fez mobilizações em favor das vítimas do terremoto no Chile e das enchentes no Brasil que atingiram várias regiões.

Meta José Ramiro Cruz, assessor Regional da OPAS, disse que a Nicarágua é o primeiro país a alcançar a meta de 100% na doação. “A Nicarágua alcançou 50% da doação em 2007 e 2008 e em 2009 alcançou 100%. Por isso, estamos muito felizes e satisfeitos”, disse Cruz, que também observou que os nicaraguenses são exemplo para toda a região.

Segundo René Berrios, coordenador do Serviço Nacional de Sangue, atualmente 1,4% da população do país doa sangue (total de habitantes em 2008 era de 5,78 milhões), mas a meta é chegar a 2% para atender a demanda e ter reservas suficientes para enfrentar qualquer eventualidade.  

veja também