"Se eu não fosse jogador seria Pastor evangélico", afirma o jogador Kaká

Kaká: "Se eu não fosse jogador seria Pastor evangélico"

Atualizado: Quinta-feira, 7 Fevereiro de 2013 as 11:58

 

 
O gesto de esticar as mãos ao céu sempre que marca um gol acompanha Kaká desde que era jogador do São Paulo.
 
Desde essa época, o jogador nunca escondeu sua religiosidade e fé em Deus. 
 
Em entrevista à "FourFourTwo", uma revista inglesa, Kaká conta que poderia até ser pastor.
 
"Se eu não fosse jogador seria Pastor evangélico. Eu sempre fui muito religioso. É por isso que eu uso a camisa com os dizeres "Eu pertenço a Jesus" durante os jogos e aponto para o céu sempre quando marco um gol. É um jeito de mostrar a todo mundo onde está o meu coração", explica.
 
 
com informações do Globo Esporte

veja também