Se a nossa vida não influencia ninguém, não estamos na vocação

Se a nossa vida não influencia ninguém para Deus, não estamos na vocação

Atualizado: Sexta-feira, 25 Outubro de 2013 as 8:03

comunhãoExistem pessoas apenas na periferia da vontade de Deus. Elas estão aparentemente bem, mas não conseguem encontrar o centro da vontade do Pai para as suas vidas. Podem até ser espertas para muitas coisas, mas são insensatas quando o assunto é chamado ou propósito. São pessoas negligentes e acabam sofrendo por causa disso.
 
Todo mundo deve buscar compreender qual é o propósito de Deus para a sua vida. Alguns descobrem muito cedo qual a sua inclinação natural e se realizam profissionalmente, mas o seu talento é muito mais do que um meio de sustento. A nossa vocação não é para um propósito egoísta. Ela existe para demonstrar algo de Deus ao nosso favor e a nossa volta. É por isso que precisamos conhecer, permanecer (I Cor 7:20) e nos comportarmos de uma forma digna (Ef.4:1) da vocação que nos foi dada.
 
João 15:16 nos ensina que há um desígnio para cada um de nós. A maioria das pessoas vive achando que não tem valor, porque o diabo treinou o homem nessa mentira. Muitos passam a vida em profissões que não amam e já são penalizados pela própria insatisfação. Se você se converteu e nasceu de novo, para que continuar no mesmo erro? Você tem uma nova chance. Descubra qual a sua vocação e seja pleno nela!
 
Todo talento só é completo quando volta para Deus. Precisamos ser um canal de bênçãos, influenciando em nosso meio para o bem. Mesmo sem frequentar as igrejas, alguns profissionais já descobriram esse princípio bíblico. Perceberam que são pessoas melhores quando se engajam em grupos voluntários e atividades sociais. Podem não saber em que versículo isso está escrito, mas sentem em suas vidas que “mais bem-aventurado é dar do que receber” (Atos 20:35). Devemos ser influenciadores! Evangelizar é influenciar uma pessoa com uma verdade ao ponto de tirá-la de sua condição.
 
Muitos estão morrendo com a ilusão de que completaram a sua carreira, mas não foram ousados para alcançar a plenitude do que Deus tinha planejado. Não foram sensíveis para perceber a visão do quanto poderiam ter sido usados.
 
Não existe idade para sair do comodismo e se tornar uma grande bênção. Smith Wigglesworth foi um simples encanador por muito tempo, mas até hoje somos edificados com os seus escritos, por causa da sua decisão de alinhar-se ao propósito e servir a Deus. Nós podemos frutificar imensamente. Se a nossa vida não influencia ninguém para Deus, não estamos na vocação. Podemos até estar na profissão ou no ministério, mas não estamos na vocação. Porque onde há vocação, há vida.
 
 
- Pr. João Roberto
 

veja também