"Sede meus imitadores" - O que, de fato, devemos imitar?

"Sede meus imitadores" - O que, de fato, devemos imitar?

Atualizado: Quarta-feira, 23 Outubro de 2013 as 7

Jesus e os discípulos1Co: 11. 1. Sede meus imitadores, como também eu o sou de Cristo.
 
O que Paulo faz que devemos imitar? Ser de Cristo, obviamente, e com a mesma determinação e entusiasmo que ele tinha. Isto afeta mais o ser do que o saber e o fazer. 
 
Não atingirei o clímax das minhas possibilidades quando me tornar igual a um ídolo humano, mas quando descobrir quem sou. O saber e fazer serão apenas reforços para manifestar a minha pessoalidade mais eficientemente. 
 
Meu propósito original foi desenhado no ventre de minha mãe e as circunstâncias que forjariam a minha formação fizeram parte deste planejamento. A decisão de aprender com a vida que DEUS me deu, porém, está no pacote adjacente conhecido como livre arbítrio. 
 
Sou o único modelo disponível para entrar em uma roupa feita exclusivamente para mim. Se eu tentar vestir a roupa de outro e tentar viver uma vida que não é a minha, o meu desfile nas passarelas da vida será simplesmente desastroso. 
 
Existe um propósito que se encaixa perfeitamente em mim e não posso fazer pontaria em alvos que ficam aquém ou além dele. 
 
Problemas de auto imagem negativa podem fazer com que eu coma a poeira daqueles que atingiram seus alvos enquanto a soberba me levar a fazer o que não deveria, para conseguir chegar em um lugar que não é meu. 
 
Rm 12.3. Porque pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não tenha de si mesmo mais alto conceito do que convém; mas que pense de si sobriamente, conforme a medida da fé que Deus, repartiu a cada um. 
 
O diabo é especialista em apontar para nós, alvos errados. Sua tática preferida é apresentar modelos humanos com o objetivo de me fazer mudar de rumo. Se a minha inclinação for a de atirar em alvos confortáveis, ele aponta para as minhas fraquezas, e sempre no superlativo.
 
 
- Ubirajara Crespo
via Facebook
 

veja também