Segundo capelão, evangélicos foram impedidos de realizar culto em presídio de Aracaju 40SE41

Segundo capelão, evangélicos foram impedidos de realizar culto em presídio de Aracaju 40SE41

Atualizado: Sexta-feira, 27 Novembro de 2009 as 12

Na tarde desta segunda-feira, 23, aconteceu na Associação Beneficente da PM uma reunião para tratar sobre o impedimento de cultos evangélicos no Presídio Militar (Presmil), em Aracaju (SE). Segundo o capelão Alexinaldo Santos Borges, responsável por muitos anos pela assistência evangélica no Presmil, há seis meses o atual diretor do presídio, tenente-coronel Sento Sé, teria proibido a realização da celebração evangélica que era feita naquela unidade há mais de cinco anos.

De acordo com Alexinaldo, o trabalho de evangelização com internos e familiares era realizado três vezes por semana, e permaneceu mesmo após diversas mudanças na direção. Segundo ele, quando assumiu a direção do presídio, o tenente-coronel Sento Sé disse que não mais aceitaria a celebração evangélica da forma como vinha sendo feita.

"Nós levávamos a família dos internos para o culto evangélico. Isso era uma forma de aproximar o interno de sua família, de acalmá-lo, de promover uma paz para todos. Inclusive a minha família trabalhava comigo. Em cinco anos nunca houve uma fuga ou facilitação de fuga; as celebrações sempre ocorreram na mais perfeita ordem. O tenente-coronel Sento Sé disse que eu poderia continuar celebrando o culto, mas só para os internos. Se quisesse trabalhar com as famílias, teria que fazer isso fora do Presmil", declara o capelão.

Tentando retomar o trabalho de evangelização que promoveu durante anos no Presmil, Alexinaldo espera, agora, contar com o apoio do comandante-geral da PM, coronel Pedroso e dos demais setores da sociedade. O deputado Estadual Pastor Antônio dos Santos (PSC) já garantiu apoio à causa. "O trabalho que os evangélicos fazem no presídio é de extrema importância. Os presos ficam ali 24 horas pensando, e nem sempre é coisa boa. A Bíblia tem o poder de mudar isso", acredita o deputado.

Além dele, o radialista e deputado Estadual Gilmar Carvalho (PSB) garantiu que levará o problema à Assembleia Legislativa, que deve convocar o tenente-coronel para uma reunião. O Portal Infonet tentou entrar em contato com o tenente-coronel Sento Sé para que ele comentasse sobre as declarações, mas não obteve êxito.

veja também