Segurança Pública é tema de encontro entre pastores e policiais militares em São Vicente (SP)

Segurança Pública é tema de encontro entre pastores e policiais militares em São Vicente (SP)

Atualizado: Segunda-feira, 11 Maio de 2009 as 12

Por João Neto  

''Por muitos anos, nós oramos pela participação da Igreja dentro da sociedade''. Foi assim que o presidente do Conselho de Pastores de São Vicente (SP), Wlamir Bernardes, definiu o sentimento de participar da 1ª Conferência Livre Cristã Evangélica sobre Segurança Pública, realizada no último sábado, dia 9 de maio. Aproveitando a ocasião de um Café de Pastores do município, o encontro realizou-se na Igreja Presbiteriana de São Vicente, tendo início às 9h, com um café da manhã. A reunião ocorreu no templo da Igreja, onde líderes evangélicos e também cidadãos não-cristãos puderam assistir à apresentação dos pontos a serem ali debatidos, expostos pela capitã da Polícia Militar, Rita (...) e pelo presidente do CONSEG (Conselho de Segurança) de São Vicente, Davi Rangel.

Após a contextualização do trabalho atualmente relizado pelo   CONSEG   e pela PM, pastores, membros do Conselho de Segurança Municipal e policiais militares dividiram-se em grupos de aproximadamente 10 a 12 pessoas, para que todos colocassem em questão e discutissem medidas preventivas, não somente como líderes evangélicos ou oficiais de segurança, mas como cidadãos.

Em entrevista exclusiva ao Guia-me, o Pr. Wlamir falou mais sobre a importância que a ocasião tem não só para os evangélicos, mas também para sociedade de modo geral. O presidente do Conselho de Pastores de São Vicente citou a Igreja como uma instituição que lida diariamente com problemas sociais e viu na Conferência a oportunidade das comunidades evangélicas agirem com mais força, influenciando a sociedade. ''Eu costumo dizer que a Igreja está cheia de 'ex...'. Muitos dentro da Igreja são 'ex-alguma coisa'. Ex-bandidos, ex-drogados, ex-traficantes, ex-alcoólatras, ex-perdidos, enfim... Nós somos a testemunha do que Deus pode fazer na vida de uma pessoa. E a voz da sociedade evangélica é a voz dos que oram, trabalham com prevenção para poder se fazer ouvir, para poder expressar, sair da pregação, da retórica e entrar para a prática'', lembrou o líder do Conselho, que também é pastor da Comunidade Evangélica Adorai.

A contribuição foi considerada mútua pela Capitã Rita, que presenciou todo o processo de elaboração das soluções propostas pelos cidadãos ali presentes. O oficial reconheceu a influência que as igrejas evangélicas alcançaram na sociedade e revelou que este foi um dos principais fatores que motivaram a Secretaria de Segurança Pública e a Polícia Militar a procurarem o apoio do Conselho de Pastores de São Vicente. ''O segmento evangélico abrange pessoas dos mais variados níveis sociais, que estão distribuídos pela cidade inteira e, por isso tem uma representatividade muito grande na cidade. Por esse motivo, nós decidimos entrar em contato com o presidente do Conselho de Pastores, para que ele formulasse esse convite e possibilitasse a realização desta conferência livre em uma das igrejas indicadas por ele'', afirmou. 

Interatividade

A oportunidade de mostrar instituições oficiais como a Polícia Militar e a Secretaria de Segurança Pública como pontos de apoio para a população também foi um dos objetivos do encontro. A oficial de polícia lembrou que ocasiões como a possibilitada na manhã do último sábado contribuem com a realização de trabalhos realizados no município pela corporação. ''Nós temos implantado já há algum tempo o policiamento comunitário, que prevê justamente isso: a aproximação da polícia com a sociedade. Melhor oportunidade que essa, ainda não houve'', lembrou.

A união comunitária e a interatividade também foram pontos destacados por Davi Rangel, presidente do CONSEG de São Vicente. O presidente lembrou que a ocasião exige o posicionamento de todos os presentes como cidadãos - pastores, policiais militares ou seja qual for a ocupação. ''O ponto mais importante é a união dos cidadãos, visando o bem comum. Hoje nós estamos vivendo um momento em que as coisas estão atingindo um patamar de total insegurança e a comunidade, reunida assim, vai tentar mostrar para o nosso governo o que é preciso fazer para tentar melhorar. Esse basicamente é o motivo da nossa presença. Hoje a Polícia Militar participou aqui conosco de maneira efetiva , fazendo questão de dizer que não está aqui só como PM, mas acima de tudo como cidadãos. Procurando aproximar-se da comunidade'', salientou. Realizado em um Café de Pastores do município, o encontro também contou com a presença do Conselho de Segurança de São Vicente para propor e discutir medidas preventivas.

Postado por João Neto

veja também